Carregando
Carregando conteúdo
[contact-form-7 404 "Not Found"]

Próstata Aumentada: Causas, Sintomas, Tratamento e Mitos

Data

6 ● setembro ● 2018
Saúde do Homem

Próstata Aumentada: Causas, Sintomas, Tratamento e Mitos
Avalie este post!

Você sabia que a próstata aumentada é muito comum em homens acima dos 50 anos?

Porém, isso não significa que o problema não possa se manifestar em outra faixa de idade.

Mas como não poderia deixar de ser, o crescimento da glândula envia sinais – e é preciso estar atento a eles.

Qualquer sinal de alteração na micção, caso sinta dor ao urinar ou então o jato de urina esteja muito fraco. Todo cuidado é essencial.

Identificar o problema é o primeiro passo para uma abordagem médica correta.

E se você quer saber mais sobre causas, sintomas e tratamento, aprendendo como diminuir a próstata aumentada, indicamos que leia este artigo até o fim.

Nele, vamos falar sobre essa condição de saúde, explicar como ela se manifesta e o que dá origem ao quadro, além das terapias indicadas, como o uso de medicamentos e a intervenção cirúrgica.

Você também vai descobrir se há relação com o câncer de próstata e seus sintomas iniciais.

Até o final do texto, você vai encontrar um guia completo com tudo o que precisa saber sobre próstata aumentada.

Boa leitura!

 

O que é a próstata aumentada?

A próstata nada mais é do que uma glândula reprodutiva masculina que produz o fluido que, junto com os espermatozoides, atua na formação do sêmen.

Quando falamos em próstata aumentada, significa dizer que essa glândula cresceu com relação ao seu tamanho original.

Na medida em que se expande, gera repercussões nos seus “vizinhos”. Ela acaba pressionando a uretra e, como consequência, dá origem a problemas na bexiga, que costumam se manifestar ao urinar.

Mais à frente, vamos avançar ao falar das causas da próstata aumentada.

Mas, desde já, é importante saber que o quadro não representa risco à saúde na maioria dos casos.

O que acontece é que o crescimento pode ter origem na chamada hipertrofia benigna da próstata (também conhecida como hiperplasia prostática benigna – HPB).

Ou seja, como o nome indica, é uma condição benigna, que não causa alterações na saúde do indivíduo.

Por outro lado, isso não significa que o quadro não mereça atenção.

É muito importante que o paciente procure o urologista para descartar outros problemas mais sérios, como o câncer de próstata, por exemplo.

 

Como identificar a próstata aumentada?

Como o crescimento da glândula se dá de forma gradual, o prazo para diagnóstico pode acabar se estendendo.

Apesar disso, não é tão difícil identificar a próstata aumentada, especialmente em razão das repercussões sobre a bexiga e a uretra.

Como toda condição de saúde, quanto antes os sintomas forem percebidos, melhor é o prognóstico para a abordagem médica.

Especial atenção devem ter os homens com 50 anos ou mais, já que representam o grupo de risco para a próstata aumentada.

Veja alguns dos sinais que o corpo envia quando a condição está presente:

  • Dor ou dificuldade para urinar
  • Fluxo de urina fraco e lento
  • Vontade repentina de urinar
  • Incontinência urinária
  • Aumento do fluxo de urina durante a noite
  • Necessidade de fazer força para urinar
  • Urina mais escura.

Importante dizer que, sozinhos, tais sintomas são um indicativo de próstata aumentada, mas que a confirmação da hipótese diagnóstica depende da realização de alguns exames.

É o que vamos saber a seguir.

Tipos de exame

Ao menor sinal de próstata aumentada, o paciente deve procurar um urologista para fazer o exame de toque.

Embora ainda cercado de mitos, ele é fundamental para o correto diagnóstico da condição, já que, no tato, o médico consegue confirmar o crescimento da glândula.

Além disso, ele também pode pedir um exame de sangue para avaliar os níveis de PSA (Antígeno Prostático Específico), os quais, geralmente, ficam acima de 4,0 ng/ml em casos de inflamação da próstata.

O médico ainda pode requisitar uma biópsia da próstata, em casos de altos níveis de PSA, para saber se esse aumento não tem nenhuma relação com o câncer.

 

Confirmando o diagnóstico

Muitas vezes, apenas com o relato do paciente e o exame de toque, já é possível confirmar o diagnóstico de próstata aumentada.

Porém, em alguns casos, o urologista pode pedir exames complementares para excluir outras possíveis condições de saúde.

Vamos entender quais são eles?

  • Exame de resíduo urinário: para saber a quantidade de urina que permanece na bexiga após o indivíduo ir ao banheiro
  • Urofluxometria, taxa de fluxo de urina: para medir a velocidade com que a urina é expelida
  • Exame de urina: para averiguar se há sangue ou infecção urinária
  • Exames de fluxo de pressão: para medir a pressão na bexiga conforme o indivíduo urina
  • Cistoscopia, exame do interior da bexiga: para investigar a presença de possíveis anormalidades.

Entendidas as formas de diagnóstico da próstata aumentada, vamos ver no tópico a seguir quais são as causas possíveis para o crescimento da glândula.

 

Quais são as principais causas da próstata aumentada?

Na maior parte dos casos, como falamos no início do artigo, a próstata aumentada é causada pela hipertrofia benigna da próstata.

Essa, por sua vez, é uma condição que surge com o envelhecimento do corpo e muito comum após os 50 anos de idade.

Embora ela seja esperada, é preciso estar sempre alerta, já que nem todos os casos de crescimento na glândula apontam para essa razão.

A próstata aumentada pode ser provocada por doenças mais graves e que necessitam ser tratadas, como a prostatite e o câncer.

Vamos entender um pouco mais sobre cada uma dessas causas.

 

Hipertrofia benigna da próstata

A hipertrofia benigna da próstata se manifesta com um aumento progressivo da frequência de micções e outras alterações ao urinar.

Apesar de ainda não se saber ao certo o que causa a hipertrofia benigna da próstata, alguns estudos sugerem que a andropausa, período semelhante à menopausa nas mulheres, pode provocar a condição.

É por isso que ela está geralmente associada à faixa etária dos 50 anos, que é quando a andropausa costuma se manifestar no homem.

Esse período está relacionado com uma relativa diminuição na produção de androgênios pelos testículos.

Também é marcado pela manutenção na elaboração de hormônios femininos pelas glândulas supra-renais, o que causa um desequilíbrio e provoca o desenvolvimento excessivo das células da próstata que compõem o tumor benigno.

Essas manifestações costumam aparecer de forma lenta e progressiva.

Por outro lado, na medida em que a glândula vai crescendo, ela acaba comprimindo a uretra.

Como consequência, provoca um grau maior de retenção urinária, o que altera então a frequência, o volume e a força das micções.

Sendo assim, os indivíduos afetados costumam ter micções menos volumosas, porém mais frequentes, maior número de micções noturnas, diminuição da quantidade de micções diárias, dificuldade e dor ao urinar.

Esses são os sintomas mais comuns da hiperplasia benigna da próstata.

 

Prostatite

A prostatite é uma inflamação da próstata que tem no crescimento anormal da glândula uma de suas formas de manifestação.

Com isso, o paciente sente muita dor e desconforto, o que resulta da maior dificuldade para a passagem da urina.

A grande maioria dos casos de prostatite tem a ver com infecções bacterianas, porém também pode ser causada por fungos, vírus e outros agentes.

Ainda é possível classificar a prostatite como aguda, quando causada por infecção bacteriana, ou crônica, que ocorre naturalmente, como em razão da idade do paciente.

Os principais sintomas da prostatite incluem:

  • Secreção uretral
  • Ardor ou dor ao urinar
  • Micção frequente
  • Dor na musculatura entre as pernas.

Percebeu algum desses sintomas? Procure um urologista o quanto antes.

A prostatite aguda ainda costuma causar mal-estar geral, febre e dor no abdômen.

Já a prostatite crônica gera desconforto na região dos testículos, no períneo e da lombar, além da diminuição da libido.

 

Câncer de próstata

O câncer de próstata é o segundo tipo mais comum de câncer em homens, ficando atrás apenas do câncer de pele não-melanoma.

Sua incidência é muito maior após os 50 anos de idade, como já referido.

Um agravante é que ele não costuma apresentar sintomas em fase inicial, embora possa se manifestar através da dificuldade de urinar ou da urina escura.

Por outro lado, quando a doença está em fase mais avançada, o paciente pode sentir:

  • Dor ou ardor ao urinar
  • Vontade frequente de urinar
  • Dificuldade de micção
  • Sensação de bexiga sempre cheia
  • Dor ao ejacular.

Apesar de estarmos falando de um tumor maligno, a boa notícia é que, em boa parte dos casos, o câncer de próstata tem cura.

Ela pode ser alcançada através de uma série de tratamentos, que envolvem cirurgia, quimioterapia e radioterapia.

Como você deve imaginar, quanto mais cedo a doença for diagnosticada, maiores as chances de enfrentar e vencer o câncer.

 

Como buscar ajuda médica?

Todo homem que começar a sentir que está tendo problemas urinários deve consultar um médico para averiguar se os sintomas podem estar relacionados com a próstata aumentada.

O ideal é não adiar a visita ao especialista, realizando consultas de rotina, que podem ser anuais ou menos espaçadas, conforme a idade avança.

É importante lembrar que todo homem, principalmente a partir dos 40 anos, deve manter uma rotina de consultas com um urologista.

Afinal, como já destacado neste artigo, em alguns casos até mais graves, é possível que o paciente não apresente nenhum sintoma inicial, mascarando uma condição mais grave.

Já caso não consiga mais urinar sem dor ou grande dificuldade, você deve procurar assistência médica imediata, pois, nesse caso, a condição está agravada.

Portanto, não espere muito tempo para buscar a ajuda de um urologista e descobrir quais os exames e tratamentos mais adequados para você.

Uma consulta inicial com um clínico geral pode ajudar, mas se ele desconfiar de próstata aumentada em razão de suas queixas, certamente vai solicitar exames e encaminhar seu caso a um médico especialista.

 

Como é a consulta com o urologista ou clínica médica?

Os médicos que podem ajudar a diagnosticar a próstata aumentada são os urologistas e os clínicos gerais.

Cada um dentro da sua área de competência, são decisivos na manutenção da saúde do homem e no tratamento de doenças do aparelho urinário.

Para que a consulta seja mais produtiva, você pode ajudar.

Uma boa dica é fazer uma lista dos sintomas e mencionar nela quando eles apareceram. Tudo isso é importante para facilitar o diagnóstico e otimizar o tempo entre o diagnóstico e o tratamento.

Durante a avaliação clínica, o médico pode fazer uma série de perguntas para saber se você sente dores, se faz esforço ao urinar, se tem algum caso na família de próstata aumentada, entre outras indagações importantes.

Novamente, vale dizer que tudo isso colabora para o diagnóstico certeiro.

E, como já destacado, a confirmação depende de exames que serão solicitados já nessa consulta inicial.

Tratamentos para a próstata aumentada

O tratamento para a próstata aumentada vai variar de acordo com a sua causa e também com a gravidade do problema.

Sendo assim, podemos dizer que as abordagens serão as seguintes:

  • Hipertrofia benigna da próstata: o tratamento inicial se dá através do uso de medicamentos, como tansulosina, alfuzosina ou finasterida. O objetivo é diminuir o tamanho da próstata e aliviar os sintomas. Já em casos mais graves, pode ser necessário realizar cirurgia para remover a próstata.
  • Prostatite: como, na maioria das vezes, a inflamação da próstata é causada por um infecção bacteriana, o médico pode receitar antibióticos, como ciprofloxacino ou levofloxacina.
  • Câncer de próstata: o tratamento é feito, na maioria dos casos, com cirurgia para retirar uma parte da próstata ou sua remoção completa. Isso vai depender da evolução do câncer, verificada em exames. Além disso, também pode ser necessário fazer quimioterapia ou radioterapia.

Medicamentos para a próstata aumentada

Existem alguns medicamentos que são indicados para o tratamento da próstata aumentada.

Entre eles podemos citar os bloqueadores alfa 1, um tipo de remédio usado para tratar a pressão arterial alta.

Esses medicamentos promovem o relaxamento dos músculos da próstata e do colo da bexiga, facilitando na hora de urinar.

A maioria dos pacientes tratados com medicamentos bloqueadores alfa 1 percebe prontamente a melhora dos sintomas.

a finasterida e a dutasterida servem para diminuir os níveis dos hormônios produzidos pela próstata e o tamanho da glândula prostática, aumentando a taxa do fluxo de urina e reduzindo os sintomas.

Nesse caso, o homem pode levar cerca de três a seis meses para notar uma grande melhora dos sintomas.

É possível que alguns pacientes sintam os efeitos colaterais relacionados ao uso da finasterida e da dutasterida, que incluem diminuição do desejo sexual e impotência.

Em casos de prostatite crônica, o urologista também pode prescrever o uso de antibióticos, como os mencionados no tópico anterior.

Cirurgia para próstata aumentada

A cirurgia para próstata aumentada normalmente se baseia na gravidade dos sintomas, no tamanho e no formato da glândula prostática.

Ela costuma ser recomendada em alguns casos específicos, como:

  • Incontinência urinária
  • Insuficiência renal
  • Cálculos vesicais
  • Sangue recorrente na urina
  • Infecções recorrentes no trato urinário
  • Incapacidade de esvaziar completamente a bexiga.

É importante estar alinhado com o urologista para saber qual a melhor alternativa para o seu caso.

Porém, a maioria dos homens submetidos à cirurgia prostática relatam melhoras nas taxas de fluxo de urina e também nos sintomas.

Sobre o câncer de próstata: sintomas iniciais e indicações

Aqui, reside o principal ponto de atenção com a próstata aumentada: a sua relação com o câncer.

É por isso que os urologistas alertam para a necessidade de realizar consultas frequentes a partir de determinada idade.

Em estágio inicial, o câncer de próstata pode não provocar sintomas e, quando o paciente descobre a doença, há boas chances de ela já estar em nível avançado.

Os sintomas mais comuns relatados pelos pacientes são:

  • Disfunção erétil
  • Micção frequente
  • Fluxo urinário fraco ou interrompido
  • Vontade de urinar frequentemente à noite
  • Sangue na urina ou no sêmen
  • Fraqueza ou dormência nas pernas ou pés
  • Dores no quadril, costas, coxas, ombros ou outros ossos (caso a doença tenha se disseminado).

É preciso estar atento ao aparecimento desses sinais, pois, além do exame de toque, o especialista pode fazer outros testes que identifiquem alterações na próstata, como o PSA.

De acordo com o INCA (Instituto Nacional de Câncer José Alencar Gomes da Silva), o câncer de próstata no Brasil é considerado como um câncer de terceira idade, pois cerca de três quartos dos casos ocorrem a partir dos 65 anos.

Vale ressaltar que, apesar de a grande maioria dos tumores crescer de forma lenta (leva cerca de 15 anos para atingir 1 cm³ ) e sem chegar a dar sinais durante a vida do homem, alguns deles podem evoluir de forma rápida, espalhando-se rapidamente para outros órgãos e podendo levar o paciente à morte.

Conclusão

Agora que você já está por dentro de tudo o que envolve a próstata aumentada, não deve hesitar em procurar a ajuda de um urologista.

Ao menor sinal de dor ou desconforto ao urinar, ou ainda ao perceber o aumento do número de micções, principalmente durante a noite, e a sensação de bexiga sempre cheia, você deve marcar uma consulta com um médico de sua confiança.

Apesar de o problema de próstata aumentada ter tratamento relativamente simples, é preciso identificar as suas causas para então indicar a melhor forma de alívio dos sintomas e cura.

É importante estar sempre ligado, pois os sinais da próstata aumentada muito se parecem com outros problemas de saúde mais sérios, como o câncer de próstata.

Por isso deve-se descartar esse diagnóstico com a realização de exames de toque ou outros que o especialista julgar necessário.

Não deixe para depois o que você pode resolver em uma simples consulta.

A Cia da Consulta o aproxima de especialistas por preços acessíveis.

Entre no site e agende a sua consulta.