Carregando
Carregando conteúdo
[contact-form-7 404 "Not Found"]

Mioma: O que é, Diagnóstico, Sintomas e Tratamento

Data

28 ● setembro ● 2018
Saúde da Mulher

Mioma: O que é, Diagnóstico, Sintomas e Tratamento
Avalie este post!

Saiba mais sobre esse tumor benigno que cresce no útero da mulher e causa muitas dúvidas.

Você sabia que o mioma pode se desenvolver e ficar do tamanho de um melão? Se você foi diagnosticado com um mioma ou conhece alguém que tenha um, saiba que a doença tem tratamento e na maioria dos casos não apresenta gravidade.

O Mioma é um tipo de tumor benigno,  que se forma no útero durante a idade fértil da mulher.  Apesar de ser um tumor, o mioma não está totalmente associado ao risco de desenvolver câncer e quase nunca se transforma na doença.

O mioma pode atingir cerca de 50% das mulheres e está na faixa etária dos 30 aos 50 anos. Ele pode crescer a nível de distorcer e ampliar o útero e o tamanho pode ficar tão grande que pode chegar a atingir a caixa torácica.  Mas a notícia boa é que tem tratamento e em alguns casos nem necessita de cirurgia.

Aqui você vai ficar sabendo melhor sobre o Mioma, como surge, seus sintomas, tratamentos e muito mais com as dicas dos ginecologistas da Cia da consulta.

Aproveite para ler esse outro artigo e fique sabendo de como se prevenir do corrimento vaginal, outra doença que costuma atingir as mulheres.

Faça uma boa leitura.

 

O que é mioma?

O mioma é um tipo de tumor benigno que se desenvolve a partir do tecido muscular liso do útero (miométrio). Ele aparece durante a idade fértil das mulheres e segundo a Sociedade Brasileira de Ginecologia pode atingir cerca de 50% das mulheres. O mioma não significa um câncer e nem pode aumentar o risco de uma mulher ter a doença, ele quase nunca se transforma em um câncer.

O mioma pode crescer a ponto de provocar distorção e alargamento do útero.

O mioma surge a partir de uma única célula que se divide de forma repetida e desenfreada, criando uma massa diferente dos tecidos próximos. O desenvolvimento do mioma varia, podendo ser de forma lenta, rápida ou permanecer do mesmo tamanho desde o início.  Alguns crescem bastante e outros podem encolher por conta própria.

O mioma pode crescer tanto a ponto de causar uma distorção ou ampliação no útero, alguns casos mais raros chegam a crescer tanto que começam a atingir a caixa torácica provocando problemas para a mulher e necessitando de cirurgia.

 

Diferentes tipos de mioma

Os miomas podem se desenvolver em diferentes tipos e localizações no útero, são eles:

  • Miomas intramurais: esse é o tipo de mioma mais comum, ele cresce dentro da parede uterina e faz com que o útero aumente seu tamanho e geralmente provocam um fluxo menstrual intenso, dor pélvica ou sensação de peso na região pélvica.
  • Miomas subserosos: se desenvolve na parte mais externa do útero e geralmente crescendo para fora do órgão. Este tipo não costuma afetar o fluxo menstrual, mas pode ser desconfortável durante o período pelo seu tamanho e devido a pressão que faz sobre outros órgãos da pelve.
  • Miomas pediculados: esse tipo normalmente não causa sintoma no início, mas ao longo do tempo cresce, podendo causar uma torção em seu pedículo e causar dor aguda para a mulher, necessitando de cirurgia de urgência para retirá-lo.
  • Miomas intracavitários: esse se forma na parte interna, totalmente dentro da cavidade uterina e costuma provocar sangramento e cólicas intensas entre os períodos menstruais.
  • Miomas submucosos: esse é o tipo menos comum. Ele se forma na parte mais profunda do útero, bem abaixo da capa que reveste a cavidade uterina, e faz com que a mulher tenha períodos menstruais mais intensos e prolongados.

 

Causas e sintomas

Ainda não se sabe a causa exata do surgimento do mioma, mas alguns fatores podem contribuir para o seu surgimento e desenvolvimento.

  • Fatores genéticos: os miomas contêm alterações dos genes que são diferentes das células normais do músculo uterino. Algumas evidências também indicam que eles podem ser hereditários e mais comuns em mulheres membros da mesma família;
  • Fatores hormonais: o desequilíbrio nos hormônios estrógeno e progesterona que estimulam o desenvolvimento do endométrio durante os ciclos menstruais a fim de prepará-los para a gravidez, também são fatores que provocam o crescimento dos miomas. Outro fator ligado a esses hormônios é que durante a menopausa, quando a produção desses hormônios diminuem, o mioma também tende a diminuir.

Outros fatores de crescimento estão relacionados a algumas substâncias que ajudam o corpo a manter os tecidos, elas também podem afetar e provocar o crescimento dos miomas.

 

Quanto aos sintomas, são muito variáveis e algumas mulheres podem não apresentar nenhum sintoma, tendo o diagnóstico feito em exames de rotina. Quando os sintomas se manifestam, os mais comuns costumam ser:

  • Períodos menstruais prolongados – sete dias ou mais de sangramento menstrual
  • Sangramento menstrual intenso
  • Sangramentos mensais atípicos, às vezes com a presença de coágulos
  • Pressão ou dor pélvica
  • Vontade frequente de urinar
  • Dificuldade de esvaziar a bexiga
  • Dor durante as relações sexuais
  • Prisão de ventre
  • Dificuldade para engravidar

 

Os sintomas também podem se diferenciar dependendo do tipo de mioma, como:

Nos Miomas submucosos: costuma ocorrer sangramento menstrual prolongado, pesado e às vezes são um problema para as mulheres que tentam engravidar;

Miomas subserosos: pode causar pressão na bexiga, provocando problemas urinários;

Miomas intramurais: se o mioma estiver grande o suficiente, pode distorcer a forma do útero e causar períodos prolongados de dores e pressão;

 

Alguns miomas se desenvolvem e crescem de maneira desenfreada provocando cólicas.

Miomas pediculados: se ocorrer torção de sua base, pode provocar parada de sua circulação, causando dor intensa e aguda, necessita de cirurgia urgente para sua remoção;

Diagnóstico do Mioma

O mioma não é uma doença identificada a olho nu, mas são frequentemente encontrados por acaso durante um exame ginecológico de rotina. Alguns sintomas podem indicar a presença de um mioma e levar o profissional a fazer um diagnóstico mais detalhado através de exames de imagem.

 

É importante procurar um médico se você tiver os seguintes sintomas:

  • Dor pélvica que não passa;
  • Períodos com a região pélvica pesada ou dolorosos;
  • Sangramento entre os períodos menstruais;
  • Dor durante a relação sexual;
  • Útero e abdômen aumentados;
  • Dificuldade de esvaziar a bexiga.

 

Se o seu ginecologista sentir irregularidades na forma do seu útero pode solicitar os seguintes exames para um diagnóstico preciso:

  •         Ultrassonografia transvaginal;
  •         Hemograma completo e outros exames de sangue, para investigar a causa dos sangramentos;

 

Caso os resultados dos primeiros testes não forem conclusivos, podem ser solicitados outros exames como:

Recebido o diagnóstico de miomas uterinos, você pode obter informações com o médico, para entender melhor seu problema e realizar de forma correta o tratamento.

Você se identificou com os sintomas e precisa consultar um ginecologista? Encontre um de forma rápida e fácil na  Cia da consulta.

 

Tratamento de Mioma uterino

O tratamento para o mioma varia de acordo com os sintomas e com o tipo e somente o seu médico pode indicar o tratamento mais adequado.

Quando a mulher tem um mioma mas não apresenta sintomas ou estes sintomas são leves e pouco irritantes, o médico pode fazer um acompanhamento da doença sem necessariamente ser preciso usar algum medicamento ou realizar cirurgia. Isso será necessário apenas se o médico identificar um agravamento do quadro.

Alguns tipos de mioma podem ser tratados com medicamentos.

Já as mulheres que apresentam miomas e tem sintomas frequentes e que chegam a incomodar o seu dia a dia, os tratamentos podem ser feitos com diversos métodos como:

  •         Medicamentos hormonais para impedir o desenvolvimento do óvulo;
  •        Uso do (DIU) liberador de progesterona;
  •         Uso de anticoncepcionais
  •         Anti-inflamatórios não esteróides usados para a dor
  •         Suplemento de vitaminas e ferro, por conta dos nutrientes perdidos no sangramento

Outros métodos são os procedimentos cirúrgicos não invasivos ou minimamente invasivos:

  • Cirurgia com ultrassom focalizado, feito por ressonância magnética;
  • Embolização da artéria uterina;
  • Miólise;
  • Laparoscópica ou robótica;
  • Miomectomia histeroscópica;
  • Ablação endometrial e ressecção de miomas submucosos;

 

A cirurgia é um dos métodos para retirar o mioma quando for necessário.

Já os procedimentos cirúrgicos tradicionais mais usados são:

  • Miomectomia abdominal
  • Histerectomia

 

Mioma e Câncer de colo de útero

Se você foi diagnosticada com mioma e acha que ele pode ter alguma relação com o câncer de útero, é importante saber que raramente um mioma vira um sarcoma, que é o câncer. Ele nem mesmo é um risco aumentado para se desenvolver um câncer.

Porém, é super importante que você faça um acompanhamento periódico com um ginecologista e faça corretamente os exames e o tratamento receitado por ele.

Dependendo do mioma, pode não provocar sintomas, mas outros podem causar sangramento genital, aumento de fluxo no período menstrual, assim como podem provocar problemas urinários, quando o seu volume chega a comprimir a bexiga que fica localizada logo à frente do útero e em alguns casos, pode ser uma causa para a infertilidade.

 

Riscos envolvidos no Mioma

Alguns fatores de risco estão envolvidos no surgimento do mioma, alguns deles são:

  •         Hereditariedade: sim, pode ser hereditário e se a sua mãe ou irmã tem miomas, você tem maior risco de desenvolvê-los também.
  •         Raça: as mulheres negras são mais propensas a desenvolver miomas do que as mulheres de outros grupos raciais. Além disso, nesse grupo racial o mioma costuma surgir em idades mais jovens, e eles também são propensos a ter mais miomas e em maiores tamanhos;

Menstruação precoce: quanto mais cedo a mulher menstruar, mais chances ela tem de desenvolver miomas;

Outros fatores: alguns fatores relacionados à alimentação e qualidade de vida também devem ser levados em consideração como ter uma dieta rica em carne vermelha, consumir verduras e frutas em menor quantidade, ingestão de álcool exagerada, entre outros que parecem aumentar o risco de mioma uterino.

 

Complicações

Por mais que os miomas geralmente não sejam graves, eles podem provocar desconfortos à mulher em seu dia a dia e atrapalhar as suas atividades com sintomas como a cólica.

A dores podem ser intensas e dependendo do tipo de mioma, precisa de cirurgia.

 

Outra complicação também pode ser a anemia, que é provocada devido a perda de sangue.

Algumas mulheres que fizeram tratamento para endometriose podem ter os sintomas novamente em algum momento da vida, com exceção das que realizaram histerectomia.

Um pequeno número de mulheres que desenvolveram o mioma podem ter alguma dificuldade para engravidar, porque o mioma pode causar algumas deformidades na parte interna do útero, além de alterar a circulação e a probabilidade de aumentar o surgimento de inflamações.

 

Alguns pequenos miomas que possivelmente não foram detectados durante a cirurgia podem eventualmente crescer e causar novamente os sintomas, por isso eles merecem tratamento.

Novos miomas, que podem ou não exigir tratamento, também podem se desenvolver novamente. Isso é chamado de taxa de recorrência e precisam de tratamento.

 

Mioma e gravidez: Quais são os riscos e o que fazer?

A maioria dos miomas geralmente não interferem na concepção ou na gravidez. No entanto, alguns casos podem atrapalhar a fertilidade ou o desenvolvimento do feto. Miomas do tipo submucoso podem impedir a implantação e crescimento de um embrião no útero.

O mioma pode surgir durante a gravidez, mas não atrapalha o processo.

 

Em certos casos, os médicos geralmente recomendam a remoção desses miomas antes de tentar a gravidez, para evitar o risco de a mulher ter um aborto em casos mais graves.

Alguns miomas também podem se desenvolver durante a gravidez, isso se deve ao aumento das taxas hormonais na mulher.

Os sintomas do mioma durante a gravidez são os mesmos, porém podem ficar mais fortes neste período devido também a alteração hormonal. Por isso, é importante  que a grávida mantenha cuidados e procure ficar em repouso para não colocar em risco a saúde do bebê.

 

Conclusão

O mioma pode provocar dores e atrapalhar o seu dia a dia. Ao sentir os sintomas procure um médico.

 

Mostramos pra você que o mioma é um tumor de caráter benigno que se desenvolve em mulheres que estejam em idade fértil e não estão ligados a casos de câncer de útero.

 

Os miomas podem se desenvolver devido a fatores hereditários, elevação hormonal e outros fatores ligados à má prática de alimentação e excesso de álcool.

Eles podem ser de diversos tipos e podem crescer a ponto de chegar ao tamanho da circunferência de um melão e em casos extremos atingir a caixa torácica da mulher.  Dependendo do tipo, podem ser tratados com remédios, cirurgia ou mesmo só com acompanhamento médico.

 

Os miomas só costumam ser diagnosticados com exames físicos e exames de imagem solicitados pelo ginecologista, por isso a importância de procurar um médico regularmente e fazer seus exames ginecológicos necessariamente uma vez por ano.

 

Cuide mais de você, com saúde você aproveita melhor grandes momentos da vida. Se você identificou os sintomas, procure um ginecologista quanto antes e se você não tem plano de saúde, a Cia da consulta é a aliada nos cuidados da sua saúde de maneira rápida, acessível e com toda a qualidade que você merece.

 

Leia também esses outros artigos do nosso blog e atente-se a alguns sinais que podem indicar um problema de saúde e previna-se.

Esse texto ajudou você a entender melhor sobre mioma? Compartilhe com outras mulheres para que elas também possam se cuidar melhor e levar uma vida com