Carregando
Carregando conteúdo
[contact-form-7 404 "Not Found"]

Escleroterapia: O que é, como funciona e para que serve.

Data

11 ● setembro ● 2018
Saúde de A a Z

Escleroterapia: O que é, como funciona e para que serve.
Avalie este post!

Saiba tudo sobre o método que trata e elimina as veias, vasinhos e varizes.

 

Os vasinhos, veias e varizes na perna são algo que  incomodam você? Saiba que eles tem tratamento. A chamada escleroterapia é uma alternativa a cirurgia de varizes, esse método ajuda eliminar esses problemas que incomodam principalmente as mulheres, atingindo mais frequentemente suas pernas, mas também podem atingir outras partes do corpo como rosto, joelho e cotovelos.

O tratamento é feito através da aplicação de uma substância que seca aos poucos os vasos e ajuda a eliminá-los, esse tratamento também pode ser feito a laser e tem o mesmo resultado.

A escleroterapia auxilia no tratamento de todos os tipos de veias e vasos e com a aplicação da substância, as veias sofrem um processo de ressecamento deixando suas paredes duras, o que fazem elas deixarem de funcionar.

A escleroterapia é um procedimento simples que não requer internação mas deve ser feito em consultório médico por um profissional especializado.

Aqui você vai conhecer melhor sobre o método, como fazer e qual o tipo mais indicado para o seu problema.

Tenha uma boa leitura!

 

O que é escleroterapia (tratamento para varizes)?

A escleroterapia é um tipo de tratamento para eliminar ou diminuir veias, vasinhos na pele e varizes, tradicionalmnete ele é feito a partir da ingestão de uma substância diretamente na variz ou no vaso. Esse tratamento também é conhecido como aplicação para varizes.

Após fazer a aplicação da substância, a veia tratada tem tendência a desaparecer em algumas semanas ou em até 1 mês, período que a pessoa começa a observar o resultado final. A escleropatia também pode ser usada em casos de veias dilatadas em doenças como hemorróidas ou hidrocele, embora sejam casos raros.

Esse tratamento forma uma reação inflamatória dentro da veia doente, fazendo com que suas paredes se endureçam e essa veia pare de funcionar, deixando também de causar distúrbios na circulação.

A escleropatia abrange todos os tipos de varizes, desde os vasos finos e avermelhados, também chamadas de telangectasias, as veias reticulares de cor azul e até mesmo as veias mais grossas que aparecem na pele (aliás, aqui tem um texto ótimo sobre varizes aqui).

Diferentes tipos de escleroterapia

Existem 4 tipos principais de escleroterapia e suas aplicações dependem do tipo de veia a ser tratada ou destruída. São elas:

 

Na escleroterapia tradicional uma substância é aplicada por meio de uma injeção diretamente nas veias

 

Escleroterapia com glicose

Esse tipo é especialmente usado para tratar vasos finos e pequenas varizes. É feito a partir da  injeção de glicose diretamente na veia que precisa ser tratada. Essa aplicação causa uma irritação e inflamação do vaso, o que resulta em cicatrizes que permitem fechá-lo fazendo com que a veia desapareça;

Nesse procedimento é aplicada a glicose diretamente na veia e algumas pessoas como os diabéticos, não são recomendados a fazerem esse procedimento e devem ser orientados a realizar um outro tipo.

Escleroterapia a laser

Essa técnica é mais usada para eliminar vasinhos no rosto, tronco e pernas. Aqui é utilizado um pequeno laser que é passado na pele e aumentando assim a temperatura do vaso e provocando a sua destruição.

 

Esse tipo pode ser associado a escleroterapia convencional para unir uma reação química com uma reação física e potencializar os resultados. Por ser a laser, esse tipo também costuma ser mais caro que os outros.

 

Esse tipo é bastante recomendado para quem tem rejeição a agulha ou medo de furar os vasos, diabéticos entre outros.

 

Escleroterapia com espuma

Esse tipo costuma ser feito em varizes grossas. O médico injeta uma substância esclerosante chamada Poidocanol, que é uma espuma de dióxido de carbono que irá provocar uma espécie de irritação na veia, fazendo com que forme cicatrizes e essa veia fique mais disfarçada na pele até que desapareça

 

A escleroterapia pode ser realizada tanto em mulheres como em homens

 

Crioescleroterapia

A crioescleroterapia é o tipo de escleroterapia feita a frio para tratar pequenas varizes ou vasinhos das pernas. Nesse procedimento, o medicamento é injetado nos vasos doentes, acompanhado de um jato de ar extremamente frio durante o procedimento.

Ele apresenta diversas vantagens em relação ao método tradicional. O principal benefício é a diminuição da dor e do incômodo durante o procedimento, já que o jato de ar frio dá um efeito de anestesiar momentaneamente a pele, deixando a aplicação menos desconfortável e permitindo que sejam mais longas.

Isso ajuda principalmente a realizar o procedimento em áreas mais sensíveis como em tornozelos ou atrás dos joelhos. Outra vantagem que esse método oferece é fazer com que haja uma contração dos vasos durante a aplicação, melhorando assim a eficiência do remédio.

Além disso, como o medicamento está resfriado, ele se torna mais viscoso, tendo um efeito maior dentro do vaso. Com isso é possível um resultado tão satisfatório quanto o do tratamento tradicional, com menos dor e menos sessões.

 

Como é feita a escleroterapia?

A escleropatia é um tratamento simples, mas é importante que só seja realizado por médicos, de preferência o angiologista, profissional que trata das doenças que acometem vasos sanguíneos (artérias e veias) e vasos linfáticos ou cirurgião vascular. Dependendo do tipo de tratamento ele pode ser feito de várias formas como você pode ver a seguir:

Quando a Escleropatia é com espuma: Inicialmente o médico injeta o medicamento na veia que nutre os vasinhos, até que estes sequem, desapareçam e fiquem com uma cor ligeiramente branca. Esse tratamento causa um pouco de dor e desconforto não só pelo uso da agulha, mas também pela entrada do medicamento na veia.

Após o tratamento com a aplicação de espuma é recomendado que o paciente use meias de compressão elástica, pois elas melhoram o retorno venoso e diminuem as chances de aparecer novas varizes.

Após o tratamento também é recomendado que a pessoa não se exponha ao sol e não faça depilação com cera quente para evitar que a região fique manchada.

Já a escleroterapia com glicose é feita a partir da aplicação de uma solução hipertônica de glicose a 50 ou 75% diretamente nas veias varicosas.

Devido a glicose ser uma substância natural, sendo mais facilmente absorvida pelo organismo, ela diminui as chances de complicações ou alergias durante ou após o procedimento, o que torna essa técnica segura e cada vez mais procurada.

A escleroterapia com glicose não apresenta muitas complicações, porém  ela não é recomendada para diabéticos, pois a glicose vai ser injetada diretamente na circulação sanguínea, o que pode alterar os níveis glicêmicos no sangue. Nesse caso é indicada a escleroterapia a laser ou com espuma.

Este tratamento é definitivo?

Com a escleropatia de espuma, da glicose ou a laser, a eliminação das varizes e pequenos vasinhos é praticamente definitiva porque o vaso tratado não voltará a apresentar variz, no entanto, outras varizes podem surgir porque elas também tem uma característica hereditária.

 

Se as varizes forem hereditárias, podem voltar mesmo após a escletoterapia.

 

É importante que antes de fazer qualquer tipo de escleropatia,  o paciente converse com o seu médico, pois é importante avaliar as características da pele e da própria variz para definir o melhor tipo de tratamento e o melhor resultado para cada caso.

Vale destacar que este tratamento não trata a causa das varizes, e alguns fatores como o estilo de vida, alimentação desregrada ou o excesso de peso, podem fazer com que novas varizes e vasinhos venham a surgir em outros locais da pele.

Quanto custa em média uma escleropatia?

O preço do tratamento varia do tipo de escleropatia que é realizada e conforme o número de sessões necessárias, levando em consideração a quantidade de varizes que a pessoa possui.

O preço de cada sessão pode variar entre 150 e 500 reais por sessão, variando do local onde é feito e do tipo de escleropatia escolhida, pois cada médico pode delimitar uma faixa de preço para realizar o procedimento.

Qual o médico realiza a escleropatia?

A escleropatia deve ser realizada somente por dois tipos de profissionais, o angiologista e cirurgião vascular, eles que fazem o tratamento clínico e cirurgia  das doenças que atingem os vasos sanguíneos (artérias e veias) e vasos linfáticos,  são os únicos médicos habilitados para realizar o procedimento de maneira correta e com todos os requintes que a técnica precisa.

 

O Cirurgião vascular ou angiologista são responsáveis pela escleroscopia.

 

Só esse profissional da saúde tem conhecimento perfeito da anatomia dos membros inferiores, local onde o procedimento costuma ser mais realizado, principalmente no que diz respeito aos vasos arteriais, linfáticos, aos nervos periféricos e às veias perfurantes que comunicam o sistema venoso superficial ao profundo.

 

Devido a esse conhecimento,  eles devem realizar o procedimento fazendo exames e análise  clínica antes. Pois qualquer erro ao aplicar a substância nas veias, pode causar danos irreversíveis à saúde do paciente.

 

Fazer escleroterapia dói?

A escleroterapia pode sim provocar dor ou desconforto em dois momentos, um é quando a  agulha é inserida na veia ou depois, quando o líquido é inserido e passa a circular nas veias. Isso pode provocar uma sensação de queimação no local.

 

No entanto, esta dor durante e após o procedimento costuma ser suportável e pode ser aliviada com o uso de uma pomada anestésica na pele, por exemplo.

 

Quais cuidados antes e após o procedimento?

Mesmo sendo considerado um procedimento sem alta complexidade, a escleropatia precisa de alguns cuidados antes e após a sua realização.

Cuidados antes do procedimento:

É necessária a realização de alguns exames, primeiramente o exame clínico que é feito pelo médico especialista para avaliar a origem e estado das veias, suas projeções sobre os troncos venosos, a proximidade que estão com as artérias e nervos e a se há a presença de lesões e edema na pele.

Durante o exame também é preciso confirmar se a pessoa é portadora de trombofilia, e se necessário, após esse diagnóstico os médicos podem solicitar  exames laboratoriais ou Doppler colorido dos membros para uma avaliação mais detalhada.

Só depois de uma avaliação da saúde do paciente no geral e com a constatação que não há nenhum problema sério é que será possível realizar o procedimento.

 

Cuidados após a escleroterapia

O uso de cremes pós-procedimento é importante para evitar que o local fique roxo.

 

Após a escleropatia, é recomendado manter algumas práticas:

 

  • Não tomar sol no dia do procedimento;

 

  • Não praticar exercícios físicos pesados no dia;

 

  • Usar um creme para evitar o aparecimento de manchas roxas;

 

  • Evitar o uso de salto alto por um período após a cirurgia;

 

  • Em alguns casos de varizes grossas, nas quais são usadas o procedimento com espuma, é preciso retirar o sangue que fica acumulado dentro da veia após ela ter esclerosado. Esse tratamento pós-cirúrgico é feito no consultório de forma muito tranquila.

 

Efeitos colaterais da escleroterapia

Apesar da escleroterapia ser uma técnica segura e eficaz, é importante tomar alguns cuidados após a realização do procedimento para evitar o aparecimento de novas varizes e manchas no local, como:

 

  • Uso de meias de compressão elástica;
  • Evitar exposição solar;
  • Evitar o uso de salto alto diariamente;
  • Manter hábitos saudáveis.

 

O uso de meias de compressão elástica ajuda na recuperação pós escleroterapia

Após a sessão de escleroterapia com glicose podem surgir outros efeitos colaterais que desaparecem depois de poucos dias, como:

 

  • Hematomas no lugar da aplicação;
  • Manchas escuras na região tratada;
  • Inchaço na região;
  • Formação de pequenas bolhas no local;

 

Se os sintomas persistirem mesmo após a finalização completa do tratamento, é indicado voltar ao médico para a realização de um exame clínico.

 

O mais importante nesse procedimento é que existe a introdução de um medicamento dentro de um vaso e isto é um fator muito sério. Quando bem feito, tem resultados formidáveis, porém, em mãos que não tem habilidade pode ser extremamente perigoso para a sua saúde.

 

A injeção errada do medicamento pode provocar isquemia e até perda do membro afetado. Outro caso também é a injeção inadvertida em veias perfurantes, que podem levar a trombose venosa profunda.

O uso de material de origem duvidosa pode provocar contaminação, inoculação de vírus e bactérias, por isso é importante que o procedimento seja feito em ambiente seguro, vistoriado pela vigilância sanitária e seguindo regras claras sobre o uso de medicação injetável.

Escolha um profissional preparado para cuidar de sua saúde vascular.

 

Conclusão

A escleroterapia ajuda a trazer a autoestima de volta eliminando veias e varizes.

A Escleroterapia é o método que ajuda a eliminar veias, vasinhos e varizes que costumam surgir principalmente nas pernas e podem incomodar  com dores e também pela aparência física. Ela é uma alternativa a cirurgia de varizes e costuma ser eficaz dependendo do caso.

 

O método pode ser realizado com a aplicação de uma substância através de injeção assim também como pode ser feito a laser. Ele vai secando aos poucos os vasos e ajuda a eliminá-los.

 

É possível tratar todos os tipos de veias e vasos e com a aplicação da substância, ou do laser, esse é um método simples e seguro que precisa ser feito por um profissional com acompanhamento antes e depois do procedimento.

As veias principalmente quando são grossas e ficam aparentes nas pernas, costumam causar um desconforto e baixa estima principalmente nas mulheres e a escleroterapia auxilia nesse tratamento e devolve uma perna lisa e sem veias.

Antes de realizar qualquer procedimento, consulte um médico e verifique as suas condições de saúde e se é necessário realizar o tratamento. A Cia da Consulta tem médicos que podem ajudar você de forma rápida com todo o conforto de uma clínica particular, a preços que você pode pagar.

 

Cuide melhor da sua saúde. Acompanhe outros artigos do nosso blog e tire suas dúvidas  sobre cuidados e prevenção de algumas doenças. Aqui você também aprende sobre:

 

Esse texto foi útil para você saber mais sobre como tratar suas varizes, veias e vasos com a escleroterapia? Se ajudou você, compartilhe para que outras pessoas também possam conhecer e se cuidar. E lembre-se esse conteúdo oferece dicas mas não substitui a consulta com um médico para cuidar da sua saúde.