Carregando
Carregando conteúdo
[contact-form-7 404 "Not Found"]

Corrimento Vaginal: O que é, tipos, cuidados (Guia Completo)

Data

29 ● agosto ● 2018
Saúde da Mulher

Corrimento Vaginal: O que é, tipos, cuidados (Guia Completo)
Avalie este post!

Saiba quando a secreção produzida normalmente pela mulher, pode causar problemas a sua saúde.

O corrimento vaginal é um incômodo e pode atrapalhar o dia a dia e a saúde íntima da mulher. E vamos combinar, não é nada legal ter um corrimento anormal e sentir a calcinha ficar molhada por uma secreção juntamente com odores, coceiras e dor.  Não é mesmo, mulheres?

 

O corrimento é uma secreção normal produzida pela mulher, só deixa de ser normal quando muda a quantidade, o volume, o odor e a cor da secreção. Se esse corrimento começa a variar sem um motivo como proximidade do período menstrual ou uso de remédios, tá na hora de procurar um médico.

 

Bactérias, higiene íntima errada, imunidade baixa e relações sexuais sem proteção são algumas das causas do corrimento, que pode provocar problemas para a saúde da mulher além de um desconforto no dia a dia da mulher.

 

Aqui você vai ficar sabendo um pouco mais sobre corrimento, o que significam as cores e volume variável dele, tratamentos, prevenção e cuidados para evitar essa doença que pode se tornar um grande incômodo para a mulher com dicas dos ginecologistas da Cia da Consulta.

Quer saber de mais assuntos sobre a saúde da mulher para se cuidar e se proteger, leia esse artigo e saiba mais.

Faça uma boa leitura e aproveite as dicas de cuidados!

 

O que é corrimento?

Todas as mulheres excretam uma secreção pela vagina, o chamado corrimento vaginal. O volume da secreção e o odor variam de mulher para mulher e quando normal geralmente tem cor transparente ou esbranquiçado. Porém, passa a não ser normal quando tem alteração nas suas cores, no volume e no odor que fica ruim.

O corrimento é normal em todas as mulheres, mas deve ser observado quando muda.

 

O volume do corrimento pode ser variável de acordo com as fases do ciclo menstrual e da vida da mulher, devido a presença de hormônios e outros fatores como a idade. O volume costuma ser maior na segunda fase do ciclo menstrual, podendo muitas vezes sujar a roupa íntima e até ultrapassá-la.

Em meninas antes da primeira menstruação e em mulheres após a menopausa, a secreção produzida é praticamente nula por conta do nível de hormônio presente no organismo. E durante a gravidez, o corrimento também pode ocorrer.

 

Quando eu devo me preocupar?

O corrimento pode ser indicativo de algumas doenças e as mudanças nele podem refletir isso.  As cores do corrimento podem variar e cada cor pode representar um problema diferente, por isso é importante ficar atenta quando você notar que a cor muda, o volume da secreção aumenta e o odor fica forte.

Fique atenta a esses sinais:

Quando aumentar o volume da secreção vaginal, a ponto de molhar as roupas íntimas e passar para roupas externas;

  •        Quando a cor mudar de branco cristalino para amarelo tipo pus, amarelo acinzentado, amarelo–esverdeado, branco amarelado e marrom;
  •         Quando houver mal cheiro, principalmente após as relações sexuais e no final do ciclo menstrual;

Essas mudanças podem significar alguma alteração no corpo, nos hormônios e pode ser sinal de alguma doença.

 

Quando eu preciso ir ao ginecologista?

Quando houver mudanças no conteúdo do corrimento e alguns sintomas começarem a incomodar o seu dia a dia, é o momento de procurar um ginecologista para investigar o que pode estar acontecendo.

Os principais sintomas indicativos de alguma anormalidade são:

  • Coceira na vagina e na vulva
  • Ardor na vagina e vulva
  • Dor pélvica
  • Dor e ardor ao urinar
  • Dores durante a relação sexual

Procure um médico ginecologista imediatamente caso:

  • Sentir dor abdominal e febre superior a 38 graus, juntamente com um corrimento vaginal;
  • Estiver grávida e apresentar corrimento vaginal diferente do normal;
  • Apresentar com coceira vaginal incomum e ininterrupta;
  • Sentir dor durante a relação sexual ou ao urinar;
  • Continuar a ter sintomas de corrimento após tratamento;

O que pode provocar o corrimento?

Muitas das vezes o corrimento também pode ser provocado por alterações no equilíbrio da flora vaginal, onde algumas bactérias que são próprias da vagina perdem a defesa contra infecções. Esse desequilíbrio pode ocorrer devido a algumas condições, como:

  • Maus hábitos de higiene;
  • Relações sexuais desprotegidas;
  • Presença de agentes infecciosos causadores de doenças como vaginose bacteriana, candidíase, tricomoníase, clamídia, gonorreia e HPV;
  • Uso de produtos e algumas condições que podem conter alérgenos como perfumes, sabonetes, sabão, tecidos de roupas íntimas, duchas vaginais, banho de espuma, etc;
O uso de produtos perfumados pode agredir a flora vaginal e provocar o corrimento.

 

  • Problemas dermatológicos como a dermatite atópica, psoríase, etc;
  • Alterações do ph da vagina que na normalidade tem acidez entre 3,5 e 4,5. Quando saem desses níveis, destroem as barreiras de defesa contra os germes;
  • Outras condições que alteram a flora bacteriana como diabetes, queda imunológica por estresse ou doença, uso de antibióticos, utilização de duchas vaginais, gestação, ciclo menstrual, entre outros;
  • Afinamento e ressecamento vaginal durante a menopausa;
  • Infecção pélvica após cirurgia;
  • Uso de pílulas anticoncepcionais;

O que quer dizer cada cor do Corrimento Vaginal?

A cor da secreção vaginal pode variar em algumas fases da vida da mulher sem que isso possa significar uma doença. Na maior parte do tempo ela é branca e translúcida, feito uma clara de ovo. É importante saber que a cor também pode ficar ligeiramente amarelada na calcinha por conta de reações químicas que a secreção sofre quando entra em contato com o ambiente externo.

Quando o corrimento vaginal deixa manchas de característica branco-acizentada ou amarelo-esverdeada na calcinha, acompanhado de um forte odor, ardor e coceira na vagina e uma dor na região pélvica, é um corrimento vaginal para ser investigado e tratado.

Lembrando que o corrimento vaginal é uma situação normal produzida e secretada por todas as mulheres, mas é preciso ficar atenta aos sinais e mudanças de cores da secreção.

 

Corrimento marrom ou cor de sangue escuro

Quando o corrimento está nessa cor, ele pode indicar ciclos menstruais irregulares ou com menos frequência e até mesmo algumas doenças mais graves como câncer cervical ou do endométrio.

Ele pode vir acompanhado de dores abdominais e sangramentos e deve ser avaliado por um médico e por exames clínicos necessários para realizar o tratamento correto.

Prefira calcinhas de algodão, elas tem o tecido mais leve e permitem ventilação na região íntima.

 

Corrimento amarelo semelhante a pus

Quando a secreção vaginal está nessa cor pode ser o indicativo de doença como a gonorreia e também pode vir acompanhado de sangramento variando entre períodos, dor e sangramento ao urinar. Esses sintomas muitas vezes por terem curta duração, podem passar despercebidos.

 

Corrimento amarelo-esverdeado ou acinzentado

Quando o corrimento está dessa cor, pode indicar tricomoníase. É importante observar se ele está bolhoso, fluido e com mau cheiro e se há a presença de dor e desconforto na região pélvica durante a relação sexual e coceira vaginal intensa.

 

Corrimento Rosado

Quando a secreção fica cor de rosa, pode significar a eliminação do revestimento interno do útero e isso costuma ocorrer após o parto.

As mulheres devem ficar sempre atentas com a mudança de cor, odor e volume na secreção.

Corrimento Branco

Se o corrimento estiver branco esverdeado e com grumos, semelhante a um leite talhado, pode indicar uma infecção vaginal por fungo (cândida), a candidíase.

Ele também pode vir acompanhado de outros sintomas como inchaço, sensibilidade na vulva e vagina, irritação e ardor na vulva, coceira intensa, dor durante as relações sexuais e dor ao urinar. Esses sintomas costumam melhorar durante a menstruação.

Se após as relações sexuais e ou menstruação houver um corrimento, ele pode indicar vaginose bacteriana e pode também manifestar os seguintes sintomas: coceira ou ardência, vermelhidão e inchaço na vagina e na vulva.

 

Corrimento na gravidez

Na gravidez o corrimento em suas condições normais de cor, volume e odor também acontece e nesse período pode ser mais frequente devido ao aumento do hormônio estrógeno no corpo e com o aumento da circulação na região pélvica.

Grávidas também podem ter corrimento anormal, por isso o cuidado precisa ser maior nessa fase

 

Porém, quando a estrutura do corrimento muda, ficando mais escuro, com maior volume e odor, é importante procurar um médico o mais rápido possível. Isso pode indicar a presença de algum problema que precisa ser tratado, como uma infecção por uma doença sexualmente transmissível, por exemplo.

É importante a grávida fazer os exames e o tratamento correto para não gerar qualquer risco para a sua saúde durante a gravidez e nem para a saúde do bebê.

 

Tratamento de Corrimento vaginal

Para tratar um corrimento vaginal é necessário primeiro realizar os exames para descobrir qual o tipo de infecção e só então tratar. No geral, as infecções são tratadas com medicamentos de aplicação local em forma de creme, gel ou comprimidos vaginais além de comprimidos de administração oral.

Em algumas infecções vaginais, principalmente as relacionadas às doenças sexualmente transmissíveis (DST’s), ambos os parceiros deverão ser examinados e tratados se necessário para eliminar a doença.

Somente um médico pode dizer qual o tratamento mais indicado para cada tipo de corrimento, assim como prescrever a dosagem correta e a duração do tratamento. Por isso é importante procurar um  ginecologista, no caso das mulheres e um urologista caso o parceiro precise ser tratado.

A sua ginecologista vai indicar o remédio ideal de acordo com o tipo de corrimento e demais sintomas.

 

Os medicamentos mais comuns no tratamento de um corrimento vaginal são:

  • Albocresil
  • Cetoconazol
  • Colpistatin
  • Clindamin-C
  • Clocef
  • Fluconazol
  • Metronidazol

Nunca faça automedicação, é importante sempre consultar um médico para fazer o diagnóstico e a medicação correta para o tipo de corrimento. Caso contrário você pode desenvolver problemas de saúde mais sério se não realizar um tratamento corretamente.

 

Quais os cuidados preciso ter em relação ao corrimento?

Como medidas de prevenção do corrimento e mesmo durante o seu tratamento, algumas medidas devem ser adotadas, como:

Evite o uso de absorventes diários, é necessário que a região genital possa respirar;

Use absorventes externos ao invés dos internos, eles podem absorver os cremes utilizados;

Caso as relações sexuais sejam dolorosas, evite. Caso contrário use lubrificante a base de água para reduzir a irritação;

Caso a área genital fique inchada ou dolorida, faça banhos de assento em água morna (sem ser muito quente) pois a água quente piora a irritação. Outra alternativa é fazer compressas de água morna com um pano frio sobre a área;

Evite coçar demais a área ou esfregar para evitar a irritação;

Use calcinha com tecido de algodão, eles são mais leves e macios e facilitam a respiração da área.

 

9 atitudes que causam o corrimento vaginal

O corrimento além de ser causado por questões hormonais e algumas doenças, também pode ser provocado e aumentado devido a algumas atitudes e hábitos ruins para a saúde da mulher praticados no dia a dia. Para se prevenir, é necessário ficar atento e evitar algumas dessas atitudes:

  1.   Excesso de limpeza na região íntima: é importante cuidar bem da sua higiene, porém, o excesso de limpeza pode eliminar os bons fungos e bactérias que protegem a flora vaginal, abrindo espaço para as bactérias ruins. Isso pode desequilibrar a flora e facilitar o surgimento de doenças;
  2.      Uso de produtos errados ao fazer a higiene: o uso de alguns produtos na região íntima, podem destruir a flora vaginal. Um exemplo disso é o uso de sabonetes comuns para o corpo e outros produtos como shampoo e perfumes íntimos.

O uso de sabonetes não apropriados para a região íntima, contribuem para o surgimento do corrimento.

Para higienizar a vagina corretamente, o ideal é lavar a região delicadamente só com água ou com sabonetes específicos para a área que tem o PH apropriado para não provocar nenhum prejuízo ou alergia na área;

  1.      Uso de roupas apertadas: A região íntima precisa de ventilação para manter a flora vaginal equilibrada, por isso não é recomendado que se use roupas apertadas e de tecidos muito grossos, eles impedem essa ventilação e ajudam a favorecer ou piorar o corrimento vaginal;
  2.      Uso de protetor diário: evite o uso de protetor vaginal no dia a dia, ele deixa a região íntima abafada, impedindo que ela receba a ventilação que precisa para manter a flora equilibrada.
  3.      Uso de roupa molhada: Ficar com roupa molhada no corpo por muito tempo após sair de praias ou piscina, principalmente o biquíni, favorece o aparecimento do corrimento vaginal;
Evite usar roupa molhada por muito tempo, isso favorece o aparecimento do corrimento.

 

  1.      Alguns tipos de tecido: as calcinhas com tecidos sintéticos devem ser evitadas, pois impedem a ventilação. De preferência às calcinhas com tecidos de algodão que são mais leve e ventiladas;
  2.      Cuidados com a depilação:  A depilação em excesso também pode prejudicar a flora vaginal, pois os pelos têm a função de proteger a área e se retirados com curta frequência, acabam por tirar a proteção da área provocando infecções;
  3.      Não usar preservativo nas relações sexuais: essa prática pode lhe provocar algumas doenças sexualmente transmissíveis que causam o corrimento vaginal e provocam outras complicações. Por isso, use preservativo em todas as relações sexuais;
  4.  O desequilíbrio hormonal e a baixa imunidade influenciam no aparecimento ou piora do corrimento vaginal. Por isso é importante cuidar da sua saúde e verificar as suas taxas hormonais através de exames e alimente-se corretamente e de forma saudável.

Conclusão

O cuidado com a saúde íntima deve ser constante para evitar o surgimento do corrimento.

 

Vimos aqui que toda mulher secreta um conteúdo pela vagina, ele é chamado de corrimento vaginal. A diferença entre o corrimento normal e o que deve causar preocupação na mulher, é em relação à cor, volume e odor.

O corrimento normal é esbranquiçado (feito uma clara de ovo), sem odor forte e com volume variável.  Quando esse conteúdo vaginal passa a ter uma mudança de cor, ficando mais escuro, com aumento de volume e odor forte, a mulher deve procurar um ginecologista para realizar exames e iniciar um tratamento.

 

Vários fatores podem desencadear o corrimento como questões hormonais, doenças e maus hábitos no dia a dia que podem contribuir para o aparecimento ou piora do corrimento, por isso é importante manter alguns cuidados com a saúde e higiene para se manter afastada do corrimento.

 

Caso você venha sentindo alguns desses sintomas, nunca faça automedicação. Procure um médico e faça seus exames, o corrimento pode ter diversas causa e por isso precisada de um tratamento específico, mulheres.

 

Se você tem ou conhece alguém que esteja com corrimento anormal e precisa consultar um médico o quanto antes, agende uma consulta aqui. É prático, é simples, é rápido.

Aproveite essas dicas e cuide melhor da sua saúde, previna-se do
corrimento e de outras doenças que afetam a saúde da mulher.

Veja também outros artigos de saúde e fique sabendo aqui de como fazer a prevenção de algumas doenças:

Esse conteúdo foi útil para você? Se sim, compartilhe com outras mulheres e ajude-as a saber mais sobre o Corrimento e seus cuidados. Se restou alguma dúvida, agende um horário na Cia da Consulta e converse com um de nossos médicos!