Carregando
Carregando conteúdo
[contact-form-7 404 "Not Found"]

TPM: Sintomas, Cuidados e Tratamentos (Guia Completo)

Data

28 ● junho ● 2018
Saúde da Mulher

TPM: Sintomas, Cuidados e Tratamentos (Guia Completo)
Avalie este post!

Seja você homem ou mulher, com certeza já ouviu falar na tão temida TPM.

A tensão pré-menstrual se manifesta a partir de um conjunto de sintomas que, segundo estatísticas, afeta sete em cada 10 mulheres brasileiras.

Há diversos fatores que influenciam no grau da TPM, cujo pico de incidência se dá entre 25 e 35 anos de idade.

Dependendo da gravidade dos sintomas físicos e emocionais, algumas pacientes podem ter a rotina alterada, ficando impossibilitadas até mesmo de levantar da cama e ir trabalhar.

E pode ficar ainda pior.

Acredita-se que entre 8% a 10% das mulheres possuem um tipo de TPM mais severo, chamado de TDPM, com sintomas ainda mais limitantes.

Mas este artigo não quer desanimá-la.

Por isso, além de falar dos sintomas da TPM e de quantos dias eles permanecem, vamos explicar quais as formas de prevenção e os tratamentos para TPM.

Se você está em busca de dias melhores, siga a leitura!

O que é a TPM (tensão pré menstrual)?

A tensão pré-menstrual, também conhecida como TPM, é o período que antecede a menstruação, no qual a mulher pode apresentar uma série de sintomas.

Eles costumam aparecer entre 10 a 14 dias antes do início do ciclo menstrual e, em algumas mulheres, podem seguir se manifestando até o fim dele.

A alteração hormonal durante o período da menstruação é o fator mais relevante entre as causas da TPM, uma vez que afeta o sistema nervoso central.

Entre os principais sintomas, estão irritabilidade, desejo por alimentos específicos, alterações de humor e sensibilidade nos seios.

O uso medicamentos prescritos por especialista e a mudança no estilo de vida podem amenizar os sintomas da tensão pré-menstrual, que não tem cura.

Quais são os Sintomas da TPM?

É possível separar os sintomas da TPM em físicos e emocionais.

Ambos causam um importante desconforto para a mulher.

Entre os sintomas físicos, estão:

  • Aumento do peso
  • Dor de cabeça
  • Inchaço das mamas
  • Acne
  • Dor nas pernas
  • Alterações nos hábitos intestinais
  • Aumento da frequência urinária
  • Reações alérgicas
  • Gases.

Já os sintomas emocionais podem incluir:

  • Irritabilidade
  • Fome em excesso ou falta de apetite
  • Cansaço
  • Sonolência
  • Ansiedade
  • Depressão
  • Vontade de chorar sem motivo
  • Dificuldade de concentração
  • Raiva sem razão
  • Baixa autoestima
  • Insônia.

Não é preciso apresentar todos esses sintomas para caracterizar a TPM.

Os mais relatados pelas mulheres são cansaço, ansiedade, alteração de humor e depressão.

Quantos dias pode durar a TPM?

A TPM ainda é cercada de grandes mistérios, é o principal deles talvez seja a própria incidência de sintomas.

O que acontece é que o tempo de duração da tensão pré-menstrual varia muito de mulher para mulher.

Algumas pacientes podem sentir os sintomas mais comuns, como irritação e inchaço, entre 10 a 14 dias antes de a menstruação acontecer.

Ou seja, por metade do mês, há algum tipo de incômodo que se manifesta.

Outras mulheres notam desconforto dois ou três dias antes, enquanto há quem não relate sintoma algum.

É claro que esse último grupo é composto por um menor número de privilegiadas mulheres.

É para entender melhor por que a TPM é mais intensa em determinadas mulheres, vale se aprofundar no estudo de suas causas, que é o assunto do próximo tópico.

Causas da TPM

Em linhas gerais, o ciclo menstrual de uma mulher é calculado por 28 dias.

Nesse tempo, como você deve saber, o organismo feminino passa por muitas mudanças.

Nos primeiros 14 dias, que é o período da ovulação, há um aumento do hormônio estrogênio, responsável por controlar o bem-estar da mulher.

Já nos outros 14 dias ocorre o engrossamento das paredes do útero, o que é uma preparação do corpo feminino para acolher um possível bebê.

É também durante esses dias que o hormônio progesterona aumenta e o estrogênio diminui.

Toda essa alteração de hormônios não passa despercebida.

Ela é capaz de causar os sintomas já relatados, com destaque para alteração de humor, ansiedade, irritação, dor nos seios e inchaço.

Somente depois desses 14 dias de engrossamento das paredes do útero é que o endométrio é eliminado, como menstruação.

Isso faz com que o estrogênio e a progesterona sofram quedas em seus níveis.

Teoricamente, é o que marca o fim da tensão pré-menstrual.

Ainda não se sabe ao certo por que algumas mulheres têm TPM muito mais forte do que outras.

Acredita-se que essa relação têm a ver com elas serem mais sensíveis às variações dos neurotransmissores cerebrais, causadas pelas alterações hormonais do ciclo menstrual.

Ou seja, seu corpo pode ou não reagir bem a essa confusão hormonal que antecede a menstruação.

Como é realizado o diagnóstico

A TPM não é uma doença.

Logo, não existe nenhum exame capaz de diagnosticar a condição.

Mas isso não significa que não vale a pena procurar auxílio médico, bem pelo contrário.

A mulher deve procurar um ginecologista quando apresentar alguns dos sintomas citados acima.

Através de uma conversa com o médico sobre os últimos ciclos menstruais e os remédios que a paciente vem tomando, é possível detectar a tensão pré-menstrual.

Muitas mulheres acabam não se queixando dos sintomas por motivos diversos, desde vergonha, desconhecimento, até o fato de minimizar a própria condição, acreditando que seus sintomas são normais e que, por isso, é preciso conviver com eles.

Porém, tudo isso só atrasa o tratamento.

Embora não exista diagnóstico da TPM, é possível que o médico peça exames TSH e T4, uma vez que os sintomas da tireoide são parecidos com os da tensão pré-menstrual.

Isso serve para descartar uma provável disfunção na glândula.

Se ela não está presente, há grandes chances de o desconforto relatado ter na TPM a sua causa.

Tratamentos, Principais Cuidados e Prevenção

Como a tensão pré-menstrual possui inúmeras manifestações, não existe um tratamento específico para ela.

Por outro lado, é possível tomar algumas medidas para aliviar os sintomas.

Algumas mulheres podem se beneficiar do uso da pílula anticoncepcional, que suspende a ovulação, para reduzir os sinais incômodos.

Na maioria dos casos, o ginecologista receita algum medicamento capaz de atenuar os principais sintomas da TPM.

É possível prevenir a sua ocorrência, o que é certamente mais eficaz.

Para isso, a dica é realizar atividade física regularmente e se alimentar de maneira saudável.

Vale consultar com nutricionista para elaborar uma dieta específica para o seu caso.

Mas você pode começar a fazer a sua parte desde já.

Entre os alimentos indicados para consumo anti-TPM, é provável que alguns destes apareçam na recomendação nutricional:

  • Leite e seus derivados
  • Atum
  • Carnes
  • Cereais integrais
  • Banana
  • Abacate
  • Batata
  • Amendoim
  • Nozes
  • Vegetais verdes escuros
  • Fibras
  • Legumes.

Ao mesmo tempo, há ainda uma série de alimentos que devem ser evitados, pois são capazes de  estimular os sintomas da TPM.

Entre eles, estão:

  • Gorduras
  • Sal
  • Açúcar
  • Frituras
  • Álcool
  • Café
  • Bebidas à base de cola.

Fatores de Risco da TPM

Como acabamos de ver, a alimentação tem relação direta com a incidência ou não da TPM.

Isso significa que aquilo que come, somado a hábitos equivocados e questões de ordem genética, podem desencadear crises de tensão pré-menstrual.

Tudo isso representa o que chamamos de fatores de risco da TPM.

Alguns deles são:

  • Histórico familiar de TPM
  • Ansiedade
  • Depressão
  • Estresse
  • Alimentação rica em comidas gordurosas
  • Alta ingestão de cafeína
  • Falta de cálcio, magnésio e vitamina B6 no organismo.

Mas há também outros fatores de risco a considerar, como a ingestão de bebidas alcoólicas – o que merece comentários à parte.

Relação entre TPM e álcool

Se você ouviu falar que beber agrava a TPM, vale conhecer este estudo.

Pesquisadores da Universidade de Southampton, no Reino Unido, e da Universidade de Santiago de Compostela, na Espanha, realizaram uma pesquisa sobre a relação da bebida alcoólica com a TPM.

Eles concluíram que 1 em cada 10 casos de tensão pré-menstrual é causado pela ingestão de bebidas alcoólicas.

Os resultados dessa pesquisa foram publicados no British Medical Journal.

Embora essa relação esteja presente em apenas 10% dos casos, o estudo indica que o consumo de álcool está associado a um aumento de 45% no risco de desenvolvimento da tensão pré menstrual.

Já entre as mulheres que bebem com mais frequência, o risco aumenta para 79%.

Ou seja, se a TPM é um problema importante para você, vale evitar qualquer bebida alcoólica e verificar como os sintomas se manifestam.

Complicações da TPM

TPM não mata, mas irrita.

A principal complicação da tensão pré-menstrual é a alteração da rotina da mulher.

Algumas pacientes sofrem tanto com alguns sintomas que se sentem incapazes de realizar as atividades diárias, deixando até mesmo de trabalhar.

Nesses casos, é preciso ter um acompanhamento médico para passar por um tratamento específico.

Mas é imprescindível não levar o problema como algo menor ou mesmo normal.

A carga emocional é tão forte em alguns casos que a saúde mental pode ser abalada de maneira significativa.

Doenças do século 21, como ansiedade e depressão, se tornam ameaças reais nesses casos.

Tudo pode começar pela TPM e a forma como ela afeta você.

É isso nos leva à pergunta que será respondida no próximo tópico: tem como conviver com a TPM?

Convivendo com a TPM

Pode parecer complicado, quem sabe até uma missão impossível, mas você pode conviver melhor com a TPM.

Muitas mulheres já aprenderam a lidar com os sintomas da tensão pré-menstrual e nem sofrem tanto todos os meses.

Mas é claro que isso não é uma regra.

Outras ainda não se acostumaram com tantas modificações ou possuem sinais tão fortes que atrapalham as tarefas diárias.

Então, seja qual for o seu caso, vale se ligar nas dicas que separamos.

Para conviver melhor com a TPM e amenizar os sintomas, é preciso:

  • Realizar atividade física regularmente, pelo menos quatro vezes por semana, que pode ser uma caminhada, natação ou bicicleta. O importante é que o exercício proporcione bem-estar e reduza a tensão
  • Ter uma alimentação balanceada, rica em verduras, legumes e frutas
  • Evitar marcar compromissos importantes no período que antecede a menstruação
  • Reduzir a ingestão de sal, pois ele aumenta o inchaço e retenção de líquido
  • Evitar o excesso de açúcares, café, álcool e carboidratos
  • Cuidar do corpo e da pele, pois ajuda a aumentar a autoestima e reduzir as acnes
  • Ser otimista e afastar pensamentos negativos
  • Parar de fumar
  • Dormir oito horas por dia
  • Realizar técnicas de relaxamento e massagem.

Mas e com as cólicas, como conviver?

Para aliviar a dor, o ginecologista pode indicar o uso de analgésicos ou antiinflamatórios, que também reduzem o sangramento.

Mas não caia na tentação de se automedicar, ainda que por indicação.

O que funciona bem para uma amiga pode não alcançar o efeito desejado para você.

O que é TDPM? (Transtorno Disfórico Pré-Menstrual)

A TDPM é considerada a forma mais severa da TPM.

Ela afeta de 2% a 5% das mulheres em idade fértil e os sintomas podem incapacitar as pacientes de realizarem as atividades diárias.

Para que o médico diagnostique o transtorno, a paciente deve apresentar pelo menos cinco destes sintomas:

  • Irritabilidade e raiva
  • Insônia
  • Descontrole emocional
  • Ansiedade e tensão
  • Fadiga
  • Letargia
  • Dificuldade de concentração
  • Alteração de apetite
  • Diminuição de interesse por atividades comuns
  • Pensamentos depressivos e autodepreciativos
  • Alterações de humor
  • Dor de cabeça
  • Inchaço e ganho de peso.

Até alguns anos, não se sabia ao certo a causa do transtorno disfórico pré-menstrual, mas isso mudou.

Uma pesquisa feita pelo Instituto Nacional de Saúde Mental dos Estados Unidos diz que as mulheres com TDPM possuem um grupo de genes cujas células apresentam comportamento diferente daquelas sem o transtorno.

Os resultados da pesquisa foram publicados na revista Molecular Psychiatry.

De acordo com Peter Schmidt, um de seus autores, eles encontraram um gene suspeito de ter uma expressão desregulada.

“Isso aumenta a evidência de que o Transtorno Disfórico Pré-menstrual é um distúrbio e uma resposta da célula ao estrogênio e progesterona”, afirmou.

O pesquisador ainda ressalta que esses estudos alimentam a esperança de melhorar o tratamento para tais alterações de humor.

Mitos e verdades sobre a tensão pré-menstrual

Quando o assunto é TPM, não faltam mitos e verdades que só alimentam as dúvidas sobre essa condição.

Vamos esclarecer as coisas?

Confira!

1. Toda mulher tem TPM?

Mito.

Nem toda mulher sofre mensalmente de tensão pré-menstrual, inclusive, algumas não apresentam nenhum sintoma durante toda a vida.

2. O principal sinal da tensão pré-menstrual é a alteração de humor?

Verdade.

Apesar de esse ser um dos mais característicos, não é o suficiente para atestar o diagnóstico.

A mudança de humor deve vir acompanhada de outros sintomas, como compulsão alimentar, insônia, depressão, dor nas mamas, gases, acne, entre outros.

3. Durante a TPM, a mulher pode engordar?

Verdade.

Nesse período, é possível que o organismo absorva maior quantidade de água e sal, além de a mulher apresentar uma compulsão alimentar, principalmente por doces.

Esses dois fatores fazem com o que o peso na balança aumente.

4. É possível sentir mais fome do que o normal, durante esse período?

Verdade.

Com a redução dos níveis de estrogênio, há uma maior instabilidade emocional.

Isso faz com que as mulheres tenham desejo por doces, que estimulam a produção de serotonina, promovendo a sensação de bem-estar.

5. Os exercícios físicos ajudam a reduzir os sintomas?

Verdade.

A atividade física libera os hormônios serotonina e endorfina, que melhoram o humor e aliviam o estresse.

6. Mulheres estressadas possuem maior risco de TPM?

Verdade.

Quanto maiores os níveis de estresse, maiores as chances de a mulher sofrer com a tensão pré-menstrual.

O ideal é investir em atividades relaxantes por pelo menos 20 minutos ao dia.

7. A TPM não tem cura?

Verdade.

Os seus sintomas podem ser atenuados com alimentação saudável e a prática de exercícios físicos.

Quando isso não for suficiente, o especialista pode indicar remédios específicos para cada sintoma, além da pílula anticoncepcional.

8. Todas as mulheres apresentam os mesmos sintomas?

Mito.

Existem, entre os físicos e os emocionais, mais de 150 sintomas possíveis de TPM e eles podem variar para cada mulher.

9. É possível sentir os sintomas da TPM durante todo o mês?

Mito.

Os sintomas aparecem entre 10 a 14 dias antes da menstruação.

OK, é bastante ainda, mas não alcança todo o mês.

Após o término do período menstrual, os sintomas devem desaparecer.

Se isso não acontecer, a mulher pode apresentar outro problema que não a TPM.

10. Quem não menstrua não tem TPM?

Mito.

Há mulheres que tomam a pílula anticoncepcional contínua, sem que ocorra sangramentos.

Mas isso não as livra dos sintomas da TPM, que podem se manifestar da mesma forma que em qualquer outra mulher.

Conclusão

A tensão pré-menstrual é caracterizada por um conjunto de sintomas que costumam aparecer entre 10 a 14 dias antes de a menstruação descer.

Em algumas mulheres, esse período pode ser mais longo e os sinais mais severos e limitantes.

Quando isso acontece, pode-se dizer que ela tem a TDPM, impossibilitando até mesmo os seus afazeres diários.

Existem inúmeros sintomas relacionados à TPM, mas os mais relatados são alteração de humor, dor de cabeça, irritabilidade, sensibilidade nos seios, vontade de chorar sem motivos e ansiedade.

Ainda não se sabe ao certo as causas da tensão pré-menstrual, mas tanto o tratamento quanto a prevenção passam pela adoção de novos hábitos de vida.

Como não existe cura para tensão pré-menstrual, o ideal é que a mulher mantenha uma rotina saudável, tanto na alimentação quanto na prática de exercícios físicos.

Em casos mais graves, de mulheres com TDPM, o especialista pode indicar medicamentos específicos para aliviar o desconforto.

Por isso, se os sintomas da TPM incomodam você, não adie a busca por ajuda.

A Cia da Consulta o aproxima de especialistas nas mais variadas áreas da Medicina, com preços acessíveis.

Entre no site e agende a sua consulta.