Carregando
Carregando conteúdo
[contact-form-7 404 "Not Found"]

Lúpus (Eritematoso Sistêmico) O que é, Sintomas, Tratamento

Data

26 ● junho ● 2018
Saúde de A a Z

Lúpus (Eritematoso Sistêmico) O que é, Sintomas, Tratamento
5 (100%) 1 vote

O Lúpus é uma doença autoimune que atinge a pele e diversos órgãos do corpo.

Você já ouviu falar sobre Lúpus? Provavelmente sim, é uma doença considerada comum, mas saiba que pode levar meses ou semanas para desenvolver os seus sintomas e seu diagnóstico pode ser difícil comparado com outras doenças.

Isso ocorre por ser uma doença do sistema imunológico, que é responsável pela produção de anticorpos no organismo, gerando mecanismos de inflamação em todos os órgãos. As doenças então se instalam devido a instabilidade ou baixa da imunidade e manifestam seus sintomas.

Pode atingir pessoas de qualquer idade, raça ou sexo e quando um indivíduo desenvolve LES ou Lúpus, geralmente têm diferentes tipos de sintomas em várias partes do corpo.

 

As dores no corpo são sintomas do Lúpus e podem se espalhar por várias áreas.

Estimativas indicam que no Brasil o Lúpus atinge cerca de 65.000 pessoas, sendo a maioria mulheres. Ainda não há uma explicação clara para esse motivo, uma das causas consideradas pode ser a contribuição do fator hormonal.

Prevenção e cuidados são sempre importantes para manter a saúde em dia. Não espere muito tempo para se cuidar, agende uma consulta médica de maneira rápida e prática e viva com mais qualidade de vida.

Você pode cuidar da sua imunidade realizando uma alimentação saudável, leia este outro artigo do blog e fique sabendo de mais dicas para prevenir doenças.

O que é o Lúpus?

O lúpus eritematoso sistêmico (LES), mais conhecido como lúpus, é uma doença autoimune que atinge principalmente a pele, rins, cérebro e articulações, podendo atingir todos os demais órgãos do corpo.

O lúpus e demais doenças autoimunes se manifestam quando o sistema imunológico atinge tecidos saudáveis do corpo por engano. O lúpus é uma das doenças imunológicas mais importantes entre as mais de 80 catalogadas.

O Lupus costuma causar dores frequentes em diversas partes do corpo.

Segundo a Sociedade Brasileira de Reumatologia, só em São Paulo são aproximadamente 6.000 portadores de Lúpus e esse número não para de crescer. A doença tem tratamento e hoje é possível contar com modernos medicamentos para amenizar os sintomas e oferecer qualidade de vida as pessoas com Lúpus.

 

O que é uma doença autoimune?

 

Doenças autoimunes podem se manifestar em pessoas de todas as idades.

Com certeza você já ouviu falar nesse termo “doença autoimune”, uma condição que se manifesta quando o sistema imunológico atinge tecidos saudáveis do corpo por engano, destruindo-os. Isso causa fragilidade no sistema imunológico e as doenças passam a ocorrer.

As causas desse ataque e das doenças autoimunes ainda são desconhecidas. Estudos apontam que fatores genéticos, biológicos e hormonais que prejudicam a saúde, e o uso de alguns medicamentos que possam interferir para essas doenças acontecerem.

As doenças autoimunes em sua maioria são crônicas, mas muitas podem ser controladas por meio de tratamento. Os sintomas desse tipo de doença nem sempre são frequentes, podem aparecer e desaparecer de forma contínua, dependendo do estado imunológico em que se encontra o organismo.

 

Sintomas de Lúpus

 

Os sintomas da doença podem se desenvolver lentamente no organismo ou surgir repentinamente já com a doença instalada. Esses sintomas podem surgir de forma temporária ou permanente, em graus moderados ou graves.

Lesões na pele são sintomas indicativo do Lúpus.

Muitos pacientes com lúpus começam a desenvolver a doença lentamente, os sintomas vão surgindo de forma esporádica e em graus moderados, vão se agravando por um tempo e depois desaparecem até voltarem a atacar novamente.

Os sintomas variam de acordo com a parte do corpo que a doença atinge, os sinais mais comuns a se manifestar são:

– Mal-estar generalizado;

– Dor nas articulações;

– Febre;

– Fadiga;

– Músculos ficam rígidos e inchados;

Rash Cutâneo, uma vermelhidão na face que atinge principalmente as bochechas e a ponta do nariz;

– Lesões na pele que podem surgir ou piorar conforme a exposição ao sol;

Sensibilidade à luz do sol;

– Respiração dificultada com dor no peito ao inspirar;

– Dor de cabeça, confusão mental e perda de memória;

– Feridas na boca;

– Queda de cabelo;

Linfonodos aumentados

Existem outros tipos de sintomas que se manifestam dependendo de qual parte do corpo é afetada:

Pele: a pele fica com coloração irregular, os dedos mudam de cor quando fica frio (fenômeno de Raynaud);

Cérebro e sistema nervosos: cefaleia, dormência, convulsões, problemas na visão, alterações de humor e personalidade;

Sistema Digestivo: Dores abdominais, náuseas e vômito.;

Coração: arritmia, cansaço;

Pulmão: dificuldade para respirar, tosse com sangue;

 

Qual médico devo procurar? Como costuma ser a consulta?

 

O reumatologista é o médico especialista no diagnóstico e tratamento do Lúpus

As especialidades médicas que podem fazer o diagnóstico e tratamento do lúpus são o Clínico Geral e mais especificamente o Reumatologista, médico que cuida das articulações.

Durante a consulta é importante que o paciente informe ao médicos todos os sintomas e há quanto tempo eles surgiram, se tem outras doenças, se toma medicamentos ou suplementos com regularidade.

De acordo com os sintomas relatados, o médico pode fazer algumas perguntas para um diagnóstico mais preciso, entre elas:

– Ao se expor ao sol, costumam surgir lesões ou vermelhidão na sua pele?

– Você sente dor ou nota que seus dedos ficam com cor diferentes durante o frio?

– Está tendo problemas de memória ou dificuldades de concentração?

– Os sintomas prejudicam o seu dia a dia no trabalho ou suas relações pessoais?

No momento da consulta, é importante que o paciente tire todas as suas dúvidas com o médico para conhecer a doença e entender o diagnóstico e sintomas.

 

Como é feito o Diagnóstico do Lúpus?

Devido os sintomas da doença terem variação de pessoa para pessoa e mudarem com o passar do tempo, o diagnóstico para o lúpus torna-se um pouco mais difícil podendo ser confundido com os sintomas de outras doenças.

Não há nenhum exame específico para  diagnosticar a doença, os médicos costumam solicitar uma combinação de exames de sangue e urina e comparam aos sintomas físicos relatados pelos pacientes para encontrar o diagnóstico.

Os exames geralmente solicitados para o diagnóstico são:

  • Exame físico;
  • Exames de sangue para identificar anticorpos, incluindo teste de anticorpos antinucleares;
  • Hemograma Completo;
  • Exame de urina;
  • Radiografia do Tórax;
  • Biópsia Renal;

 

Tipos de lúpus

O Lúpus pode se manifestar em  diferentes tipos:

 

Lúpus Discóide

Esse é um tipo de inflamação limitada à pele. Ele pode ser identificado com o surgimento de lesões cutâneas avermelhadas que costumam aparecer no rosto, na nuca e no couro cabeludo. Esse tipo de lúpus pode evoluir para outro tipo, o sistêmico.

 

Lúpus Sistêmico

Essa é a forma mais comum da doença, podendo ser grave ou leve. Ela se manifesta por meio de uma inflamação que ocorre no organismo podendo comprometer vários órgãos e sistemas do corpo.

Os sintomas mais comuns desse tipo dependem do órgão em que a doença manifesta a inflamação como rins, coração, pulmões, pele e até mesmo no sangue e nas articulações.

 

Lúpus devido a medicamentos

Algumas drogas ou medicamentos podem provocar uma inflamação temporária durante o seu uso e provocar sintomas bastante semelhantes com o do lúpus sistêmico. Esses sintomas costumam desaparecer ao parar com o uso.

 

Quais os fatores de risco para o Lúpus?

O Lúpus pode se manifestar em pessoas de todas as idades, raça e sexo mas uma classe dessas pessoas costumam ser mais atingidas pela doença, as mulheres. Não se sabe ao certo o que causa a doença, mas alguns fatores podem ser indicativos.

Sexo Biológico: As mulheres costumam ser mais atingidas do que os homens;

Idade: dados de diagnósticos mostram que a maioria das pessoas atingidas estão entre 15 e 40 anos, a doença porém pode surgir em todas as idades;

Etnias: O Lúpus se manifesta mais comumente em pessoas afro-americanas, hispânicas e asiáticas. Mas pode atingir pessoas de todas as etnias.

 

Lúpus tem cura?

O Lúpus é uma doença que ainda não tem cura. Existe apenas tratamento que ajudam a diminuir a intensidade dos sintomas. Com acompanhamento médico e tratamento frequente, cerca de 80 a 90% dos pacientes com lúpus conseguem viver melhor.

 

Tratamento para o Lúpus

O tratamento do Lúpus funciona para controlar a intensidade dos sintomas e ajudar na melhoria da qualidade de vida das pessoas que têm a doença.

No estágio  em que a intensidade dos sintomas é branda, o tratamento pode ser feito com:

  • Medicamentos anti-inflamatórios não esteroides para artrite e pleurisia;
  • Protetor solar para proteger a pele de vermelhidão e lesões;
  • Uso de Corticóide tópico nas lesões que tenham surgido na pele;
  • Uso de corticoides com baixa dosagem para os sintomas na pele e artrite;
  • Outros medicamentos que possam ser associados para o controle da doença.

 

A pele é um dos órgãos atingidos pelo lúpus, podendo desenvolver vermelhidão e feridas.

Quando os sintomas já estão graves, podendo levar ao risco de morte, o paciente costuma desenvolver anemia hemolítica, complicações cardiológicas, pulmonar, renal e no sistema nervoso central. Esses casos precisam de um tratamento mais agressivo e muitas vezes de internação.

O tratamento para  casos mais graves de lúpus inclui:

  • Uso de corticóides em alta dosagem ou medicamentos para diminuir a resposta do sistema imunológico do corpo, os chamados imunossupressores
  • Medicamentos citotóxicos ( drogas que bloqueiam o crescimento celular) quando não há a melhoria com corticóides ou quando os sintomas piorarem após interromper o uso. Esses  medicamentos têm efeitos colaterais graves, por isso o médico deverá monitorar o uso com muita frequência.

Medicamentos para Lúpus

Os tratamento para o Lúpus envolve vários medicamentos e produtos dermocosméticos exclusivos  para a pele. Os medicamentos mais usados são:

  • Androcortil
  • Azatioprina
  • Benevat
  • Betatrinta
  • Betnovate
  • Betametasona
  • Bi Profenid
  • Celestone
  • Cetoprofeno
  • Decadron
  • Diprospan
  • Duoflam
  • Prednisolona
  • Prednisona
  • Predsim
  • Profenid

Somente um médico pode indicar qual o medicamento mais recomendado para o caso do paciente, bem como a dosagem correta e a duração do tratamento de acordo com a intensidade dos sintomas que este desenvolve.

É importante respeitar as orientações do  médico e nunca se automedicar, pois a doença pode ter uma piora em alguns casos.

 

Como conviver melhor com o Lúpus?

 

O cansaço frequente é um dos sintomas que se manifesta nos casos de Lúpus.

A pessoa que tem lúpus requer um cuidado especial com a saúde em geral, especialmente com a saúde do coração para prevenir problemas mais graves no futuro. É importante que o paciente faça um acompanhamento frequente com o médico para cuidar da imunidade e fazer testes de imunidade para verificar a saúde imunológica, dos ossos e de outras doenças.

O resultado para pessoas com lúpus melhorou nos últimos anos.O Lúpus pode causar complicações  graves ao paciente, gerando danos em vários órgãos se não for tratado corretamente. Os órgãos mais afetados podem ser:

Rins

A Falência dos rins é um dos principais  problemas e está entre uma das causas que mais levam os pacientes com lúpus a morte. Náuseas, vômitos, edemas, coceira generalizada, dores no peito, irritação são alguns dos sinais de que o Lúpus atingiu os rins.

 

Cérebro

O lúpus pode afetar o cérebro e o sistema nervoso.  Os sinais de que isso está acontecendo são os seguintes: dor de cabeça, confusão mental, tontura, mudanças de comportamento, alucinações, derrames cerebrais (AVC), entre outros.

 

Coração

O Lúpus pode causar a inflamação  dos músculos do coração, artérias e pericardite.

O paciente com lúpus  têm aumentada a chance  de ter um ataque cardíaco e desenvolver outras doenças cardiovasculares.

 

Pulmões

O Lúpus também atinge os pulmões dos doentes, podendo levar à pleurisia, que pode causar dor durante a respiração.

 

Vasos sanguíneos

Os vasos sanguíneos também são atingidos pelo lúpus, podendo causar diversas complicações como anemia, risco de sangramentos e inflamação dos vasos (vasculite) estão entre as principais complicações possíveis decorrentes de lúpus.

O lúpus também pode acarretar em outros problemas, como:

  • Infecção: pessoas com lúpus têm mais chance de desenvolver infecções, pois tanto a doença quanto o tratamento comprometem o sistema imunológico enfraquecendo-o.  As infecções mais comuns são a urinária, respiratória, por fungos, salmonela e herpes.
  • Câncer: o agravamento do câncer também é uma das possíveis complicações do lúpus.
  • Necrose avascular: é quando ocorre a morte das células que reveste os ossos, podendo causar fraturas e o rompimento de muitas articulações.

Mitos e verdades sobre o Lúpus

 

Mulheres com lúpus não podem engravidar?

Mito! As mulheres que tem lúpus podem engravidar e manter uma gestação geralmente saudável, desde que não sofram de problemas renais e cardíacos e que façam o tratamento corretamente. Porém, existe a chance de mulheres portadoras de lúpus terem maior possibilidade de perder o bebê na presença dos anticorpos do Lúpus.

 

Pessoas que tem lúpus podem desenvolver depressão?

Verdade. E é recomendado que essas pessoas procurem ajuda através de psicoterapia e também em grupos de apoio para aliviar os sintomas da depressão e as alterações no humor e de personalidade que venham a surgir com os pacientes durante a doença.

 

Lúpus causa muito cansaço?

Verdade! A fadiga é um dos sintomas da doença, por isso pacientes costumam se sentir cansados frequentemente. É importante que o paciente descanse bastante e faça o tratamento corretamente para esse sintoma.

 

Pessoas com lúpus não devem praticar exercícios físicos?

Mito!  Exercícios físicos regulares e moderados podem até ajudar na recuperação de uma crise e no tratamento da doença, além disso, ajudam a reduzir o risco de ataque cardíaco, melhorar os sintomas de depressão e mantém o bem-estar geral do corpo.

 

O exercício físico de maneira moderada ajuda a melhorar os sintomas do Lúpus.

O Sol é um vilão para quem tem lúpus?

Verdade. Pessoas com lúpus devem tomar cuidado com o sol e evita-lo totalmente em momentos de crise. É recomendado que os pacientes utilizem roupa protetora, óculos escuros e protetor solar ao se expor ao sol.

Alimentação saudável é um fator importante para o tratamento do Lúpus?

Verdade! Pacientes com lúpus devem manter uma alimentação saudável, que ajuda a manter a imunidade sempre em alta. Deve-se comer grãos, frutas e vegetais. Um Nutricionista também pode indicar uma dieta específica para auxiliar a alimentação quem tem a doença.

A acupuntura também ajudar no tratamento das dores. Aqui você encontra de maneira rápida,fácil e acessível.

Lúpus é câncer?

O Lúpus não é câncer. É uma doença inflamatória que se manifesta devido o sistema imunológico produzir anticorpos que atacam tecidos saudáveis da própria pessoa. O Lúpus também não evolui para câncer, mas as pessoas que tem o lúpus eritematoso sistêmico podem ter um risco ligeiramente maior de desenvolver alguns tipos de câncer, como o linfoma não-hodgkin.

 

Como conviver com alguém com Lúpus?

A pessoa que tem Lúpus pode desenvolver uma série de dificuldades físicas e mentais e sentimentos difíceis sobre a sua condição de saúde. Medo, frustração extrema, depressão, ansiedade, estresse elevado e baixa auto-estima são alguns desses problemas e é muito importante que tenham o apoio da família e de amigos no dia a dia.

É importante também que a família conheça muito sobre a doença para ajudar principalmente quando os sintomas estiverem mais latentes e gerando as crises que provocam múltiplos sintomas e dificuldades a pessoa portadora de lúpus.

É importante que a pessoa doente também faça atividades prazerosas e que possam se sentir tranquilas, tirando a tensão da doença. Ouvir música, ler, pedalar, conversar com amigos, assistir filmes e conviver também com outras pessoas portadoras de lúpus são benéficas para o tratamento e qualidade de vida.

 

Conversar com outras pessoas é um apoio positivo para melhorar os sintomas da doença.

 

Conclusão

Pessoas com Lúpus devem evitar a exposição ao sol para não desenvolver problemas na pele.

O Lúpus é um distúrbio crônico que ocorre devido o sistema imunológico produzir anticorpos em excesso e sem um motivo aparente, destruindo tecidos saudáveis.

Os anticorpos, quando em alta concentração, passam a atacar o próprio organismo e provocam inflamações em diversos órgãos do corpo.

Esses sintomas se desenvolvem de forma lenta e podem atacar por um período temporário, sumir e depois voltar novamente, dependendo do estado do sistema imunológico.

A doença pode atingir pessoas de todas as idades e costuma se manifestar mais em mulheres, através de vários sintomas que quando em alto grau, podem atrapalhar o dia a dia da pessoa.

O lúpus não tem cura mas tem tratamento e hoje com o avanço da medicina, existem medicamentos e que podem ajudar a pessoa com lúpus a manter mais qualidade de vida no dia a dia.

Curtiu esse texto? Então aproveite outras dicas de saúde no nosso blog e saiba mais sobre cuidados e prevenção de doenças.

Conhecer mais sobre o Lúpus foi útil para você? Compartilhe nas suas redes sociais para que amigos e familiares também possam se informar sobre o tema.  Se precisar tirar alguma dúvida mais específica ou passar por uma consulta, agende um horário na Cia da Consulta e converse com nossos Reumatologistas!