Carregando
Carregando conteúdo
[contact-form-7 404 "Not Found"]

Insônia: Guia completo sobre a causa, tratamentos e medicamentos

Data

8 ● março ● 2018
Saúde de A a Z

Insônia: Guia completo sobre a causa, tratamentos e medicamentos
Avalie este post!

Você sabia que mais de 73 milhões de brasileiros têm problemas com insônia e que o smartphone é um dos causadores disso?

A insônia é um distúrbio do sono, caracterizado pela dificuldade em adormecer, despertar frequente durante à noite, sono leve ou de má qualidade. Muitos brasileiros sofrem com dificuldades para descansar, o que pode ocasionar diversos outros problemas de saúde.

Esse problema pode ter muitas causas, que podem ser biológicas, comportamentais ou psicológicas. No entanto, ela tem tratamento e até cura, dependendo do caso. Procure um médico para realizar o diagnóstico e receber as orientações para seu caso específico.

A insônia já é considerada uma questão de saúde pública segundo a estimativa da Associação Brasileira do Sono.

Esse problema é parte do cotidiano de muitos brasileiros. A dificuldade para dormir ou a má qualidade do sono pode afetar profundamente a rotina.

Se você já passou por esse problema, deve saber como é sentir o cansaço de noites mal dormidas.

O corpo precisa descansar para funcionar bem. Não descansar o tempo necessário pode gerar problemas de saúde, de concentração e de humor. Apesar das consequências graves, também é muito comum que pessoas com problemas para dormir não procurem médicos.

A insônia é uma das doenças que costumam ter sua importância e peso diminuído pelo senso comum, assim como os problemas relacionados à saúde mental.

No entanto, é importantíssimo cuidar desses sintomas. A qualidade do sono é fundamental para o bom funcionamento do nosso organismo.

Se você quer mais dicas sobre como viver bem e de maneira saudável, leia também esse outro post no blog.

A seguir, você encontra tudo o que precisa saber sobre a insônia, incluindo as suas possíveis causas e como é realizado o tratamento.

Saiba que é possível, sim, se livrar desse peso e dormir muito melhor. O tratamento para a insônia é capaz de elevar muito sua qualidade de vida.

Boa leitura!

O que é a insônia?

A insônia caracteriza-se como um distúrbio do sono. Ela pode se manifestar de diferentes formas: pode ser uma dificuldade para adormecer, falta de sono, sono excessivamente leve, dificuldade para se manter adormecido ou sono de má qualidade.

Esse é um distúrbio extremamente comum. Estima-se que 1 em cada 5 pessoas sofram com insônia.

Ela pode ter causas orgânicas, psicológicas ou até mesmo comportamentais, como veremos mais detalhadamente no decorrer do artigo.

Ela também pode variar em seus sintomas, aparecer como um problema pontual de curta duração ou tornar-se crônica.

Apesar de ser comumente subestimado, esse é um problema que pode trazer inúmeras consequências negativas para o dia a dia.

A insônia é uma doença reconhecida pela Organização Mundial de Saúde como questão de saúde pública, já que apresenta problemas tanto para os indivíduos quanto para a sociedade como um todo.

O cansaço causado pela insônia pode afetar todas as áreas da sua vida.

A boa notícia é que a insônia tem tratamento. Basta procurar um médico e realizar o diagnóstico da causa para começar.

Quais são as causas mais comuns da insônia?

A insônia pode ter muitas causas diferentes. Conhecer a origem do problema é essencial para resolvê-lo, mas essa pode ser uma tarefa um pouco mais complicada do que parece.

Como os motivos da insônia variam muito, pode ser difícil identificar o que está causando esse problema. Ter a ajuda de um profissional é essencial para garantir um diagnóstico preciso.

Você sabia que a luz das telas de smartphones pode agravar a insônia?

Veja a seguir algumas das causas mais comuns para a insônia:

Causas orgânicas

Para que você sinta sono, uma glândula no seu cérebro produz um tipo específico de hormônio: a melatonina. Receptores no sistema nervoso absorvem essa substância, e é esse processo que causa a sensação de sono.

Existe uma variedade de problemas que podem atrapalhar isso, no entanto. A glândula, chamada de glândula pineal, pode não estar produzindo melatonina suficiente, por exemplo.

A dificuldade de dormir também pode estar relacionada à absorção do hormônio. É possível que um indivíduo possua menos receptores, ou até mesmo que eles estejam bloqueados por outras substâncias. A cafeína, por exemplo, age dessa forma no nosso corpo.

Existem outros hormônios e neurotransmissores que, em desequilíbrio, podem causar problemas no sono.

Esses problemas podem ser detectados, em sua maioria, através de exames de sangue e outras ferramentas diagnósticas. Esse é o tipo de causa de mais fácil detecção e tratamento.

Causas psicológicas

A saúde mental torna-se uma preocupação cada vez mais séria para a sociedade como um todo. Com rotinas extremamente corridas e demandas pesadas, problemas como estresse, ansiedade e depressão são cada vez mais comuns.

Esses são distúrbios que influenciam muito na habilidade do indivíduo de descansar ao final do dia.

O estresse e a síndrome de burnout já são partes intrínsecas do dia a dia do brasileiro, infelizmente. Esses distúrbios fazem com que seu cérebro tenha dificuldade para “desligar”, já que sente que precisa estar sempre atento.

Isso também acontece nos casos de ansiedade.

Em estado constante de alerta, o cérebro cessa a produção de melatonina. Também é mais difícil alcançar o sono REM.

Isso acontece porque seu corpo “entende” que está em uma constante situação de perigo, que requer tomada de decisão e reação rápida. Você é, então, impedido de relaxar ou entrar em sono profundo.

Ansiedade, estresse e depressão também podem ser causas da insônia.

A depressão também afeta o sono, mas de maneira diferente. Os baixos níveis de um neurotransmissor chamado serotonina causam perda de motivação, o que pode levar o indivíduo a ficar na cama durante o dia.

Trocar o dia pela noite é comum em pacientes com esse problema. Além disso, o sono perde sua qualidade e, mesmo que a pessoa durma bastante, nunca se sente descansada.

Causas comportamentais

Também existem diferentes hábitos que podem causar ou agravar problemas de insônia. O consumo de entretenimento antes de dormir, como assistir televisão e ficar no computador ou celular até tarde é frequentemente associado com insônia.

Isso acontece por dois motivos: primeiramente, enquanto seu cérebro está recebendo estímulos, ele permanece ativo. Essa é uma função de sobrevivência, que permite que fiquemos acordados por muito mais tempo quando é necessário.

Além da estimulação audiovisual, as formas de entretenimento eletrônicas também oferecem outro perigo para o sono: a luz. A glândula pineal é extremamente sensível a iluminação.

Luzes e estímulos audiovisuais impedem que o seu corpo descanse corretamente.

É através do ciclo de dia e noite que o nosso relógio biológico se ajusta. As luzes das telas podem enviar a mensagem errada para o nosso corpo. O cérebro entende que enquanto houve luz, ainda não é hora de dormir. A produção de melatonina, portanto, é atrasada. Por isso é mais difícil pegar no sono em ambientes iluminados.

Atividades muito agitadas e que exigem muita atenção antes de dormir também podem prejudicar o sono.

Outra causa comportamental da insônia é fazer refeições muito pesadas durante a noite. Nosso sistema digestivo precisa “desligar” para que o corpo alcance o estado REM do sono, e isso não acontecerá se ele tiver muito trabalho a fazer.

Quais problemas a insônia pode trazer para a saúde?

A insônia já é um problema grave por si só. Ela causa irritação, dificuldades em realizar tarefas que exijam atenção e memória e cansaço.

No entanto, existem inúmeros outros problemas que dormir mal traz para o corpo. Veja algumas das complicações mais comuns para quem lida com insônia crônica:

  • Problemas gastrointestinais relacionados ao estresse;
  • Problemas de absorção de vitaminas;
  • Irritabilidade constante;
  • Dificuldade de retenção de informações e evocação de memória;
  • Problemas de concentração;
  • Distúrbios de ansiedade;
  • Depressão e outros distúrbios do humor;
  • Problemas cardíacos;
  • Obesidade;
  • Hipertensão arterial;
  • Diabetes;
  • Diminuição da libido;
  • Piora de dores crônicas;
  • Enxaquecas;
  • Prejuízos ao sistema imunológico.
A insônia pode causar sintomas físicos, psicológicos e emocionais.

Além dos problemas causados ao indivíduo, a insônia também oferece riscos à sociedade. Por exemplo, aumenta a probabilidade de acidentes de trânsito e no trabalho, afeta o sistema de ensino e os relacionamentos.

Tipos de Insônia

A insônia pode ser caracterizada em dois principais tipos: a primária e a secundária. Ela é considerada primária quando não é um sintoma de outra doença ou condição, seja ela física ou psicológica.

Já a insônia secundária normalmente tem sua origem em algum outro problema. Veja algumas causas da insônia secundária:

  • Ansiedade;
  • Depressão;
  • Síndrome de Estresse Pós-Traumático;
  • Alzheimer;
  • Dor crônica, como artrite e enxaqueca;
  • Asma;
  • Insuficiência cardíaca;
  • Hipertiroidismo;
  • Transtornos gastrointestinais.
A insônia pode atrapalhar o seu dia a dia e impactar negativamente as pessoas à sua volta.

Qualquer condição que afete a respiração, conforto ou atividade mental pode causar insônia secundária. Identificar a origem do problema é essencial para realizar um tratamento eficiente e voltar a dormir bem.

Insônia infantil

A insônia infantil é bastante comum, e normalmente se origina em causas comportamentais.

O estabelecimento de uma rotina de sono mais apropriada costuma a resolver o problema.

Por exemplo, perto do horário de dormir, evitar brincadeiras muito agitadas e estimulação cognitiva, principalmente vídeos e jogos eletrônicos pode ajudar a criança a dormir melhor.

Outro fator é o horário que a criança come. As refeições devem ser feitas pelo menos 30 minutos antes do horário de dormir.

A insônia infantil normalmente tem causas comportamentais.

Criar hábitos como tomar um banho e contar uma história antes de dormir também são táticas eficientes. O corpo da criança passa a associar essas tarefas ao sono com o tempo.

Se esse tipo de medida não resolver o problema de insônia infantil, cabe consultar um pediatra. Os hábitos noturnos são a causa mais frequente desse tipo de problema, mas não são a única. A criança pode estar sofrendo com insônia de origem orgânica ou psicológica. Nesse caso, nada como um diagnóstico profissional para ajudar.

Insônia familiar fatal (IFF)

A insônia familiar fatal é um distúrbio raro que afeta uma proteína específica do cérebro. Nesse caso, o problema infelizmente não tem cura. O tratamento ainda pode ser realizado, no entanto, com o uso de medicamentos ininterrupto.

O aparecimento da síndrome é mais frequente em adultos, entre os 30 e 60 anos de idade. Os sintomas são progressivos, e apresentam cinco estágios:

  • Fase 1: Dura cerca de 4 mesas. Os sintomas são a perda progressiva do sono, e podem aparecer ataques de pânico e paranoias.
  • Fase 2: Dura cerca de 5 meses. Os ataques de pânico se agravam e podem ocorrer alucinações.
  • Fase 3: Dura cerca de 3 meses. O paciente perde completamente a capacidade de dormir. Pode sofrer emagrecimento repentino.
  • Fase 4: Dura cerca de 6 meses. Devido a falta de descanso prolongada, podem aparecer sinais de demência e perda de contato com a realidade.
  • Fase 5: O corpo entra em colapso pela falta de descanso e o indivíduo entra em estado comatoso.

Vale lembrar que a IFF é extremamente rara e, se tratada corretamente, é possível levar uma vida normal.

Insônia tem cura?

A grande maioria das causas da insônia possuem tratamento e cura.

Em especial a insônia secundária, que some quando a causa raíz do problema é tratada. Além disso, a insônia primária também pode ser mitigada com medicamentos, mudanças de hábitos e outras técnicas de tratamento.

É possível melhorar a qualidade do sono consideravelmente e voltar a ter uma vida normal em virtualmente todos os casos de insônia. Por isso, procure um médico e comece o tratamento hoje mesmo se você sofrer desse mal.

Muitos pacientes estão tão acostumados a conviver com a insônia, que nem imaginam o quanto a qualidade de vida pode aumentar quando você se livra dela. Esse é um problema real, que deve ser levado a sério e tratado como qualquer outra condição de saúde.

O que fazer para acabar com a insônia?

O primeiro passo para se livrar da insônia é realizar um bom diagnóstico da causa. Para isso, você precisará contar com alguns especialistas e exames laboratoriais. Veja alguns médicos que podem te ajudar no diagnóstico da causa da insônia:

  • Clínico geral;
  • Neurologista;
  • Médico do sono;
  • Psiquiatra.

Para facilitar o diagnóstico, é importante que você chegue na consulta preparado para fornecer o maior número de informações relevantes possível. Veja algumas perguntas relevantes para se fazer:

  • Você tem dificuldade para pegar no sono ou para descansar enquanto dorme?
  • Você tem sono leve?
  • Há quanto tempo tem notado os sintomas?
  • Possui histórico na família de alguma das doenças listadas nesse artigo como possíveis causas?
  • Quais são seus hábitos noturnos?
  • Você tem sonhos agitados ou pesadelos frequentemente?
  • Você está lidando com muito estresse ou ansiedade?
  • Você faz uso de algum medicamento? Há quanto tempo?
  • O que mudou na sua rotina desde que os sintomas começaram?

Tratamentos para insônia

O tratamento para a insônia vai variar muito de acordo com a causa. Ele pode ser medicamentoso, como nos casos de insônia orgânica ou problemas do sono causados por distúrbios como o Estresse Pós-Traumático.

Poderá também envolver a mudança de hábitos, como correção da alimentação, inclusão de exercícios físicos e meditação na rotina diária ou até mesmo o ajustes da rotina noturna.

Um bom exemplo é a eliminação de atividades estimulantes em horários próximos da hora de dormir, principalmente as que envolvem eletrônicos.  

Também é possível melhorar a insônia através de processos terapêuticos, como a psicoterapia, musicoterapia ou terapia ocupacional. Alguns profissionais também indicam o uso de calmantes naturais ou acupuntura, dependendo da causa.

Existem medicamentos e diversos tratamentos para amenizar os sintomas da insônia.

Medicamentos para insônia

Existe uma grande variedade de medicamentos indicados para a insônia. Eles variam em intensidade e composto, já que as causas do problema são muito variadas.

Em casos de distúrbios psicológicos como a ansiedade, depressão e estresse pós-traumático, pode ser feito o uso de ansiolíticos, antidepressivos ou até mesmo antipsicóticos.

Em geral, esses são remédios de tratamento contínuo, que não podem parar de ser tomados.

Em casos de deficiência hormonal, o paciente pode tomar calmantes à base de melatonina para fazer a reposição desse composto no cérebro.

Apesar desse tipo de remédio ser vendido comumente sem receituário, é importante consultar um médico antes de usar. Principalmente porque se a causa da sua insônia for outra, o calmante não será efetivo.

Medicamentos que controlem as causas da insônia secundária também podem melhorar a qualidade do sono.

Mudanças de hábitos que podem ajudar

A grande maioria dos casos de insônia apresentam melhoras impressionantes apenas com mudanças de hábito. Veja algumas dicas de mudanças na sua rotina que certamente ajudarão a melhorar sua qualidade de sono (e de vida):

  • Pratique algum esporte ou exercício físico, pelo menos uma vez por semana e preferencialmente pela manhã. A prática de exercícios estimula a produção de serotonina e ajuda o metabolismo a se regular melhor.
  • Evite dormir em ambientes iluminados.
  • Evite dormir mais do que uma hora durante o dia.
  • Planeje suas refeições cuidadosamente. Além de uma alimentação balanceada, deixe as opções mais pesadas para o começo do dia. Coma pelo menos meia hora antes de dormir e escolha comidas mais leves para o jantar.
  • Não consuma açúcar, cafeína, taurina e outras substâncias estimulantes perto do horário de dormir.
  • Não utilize aparelhos eletrônicos como televisores, celulares, tablets e computadores muito perto do horário de dormir.
  • Estabeleça uma rotina. Fazer sempre as mesmas atividades antes de dormir ajuda na qualidade do sono.
  • Se você perceber problemas crônicos de sono ou as mudanças de hábito não ajudarem, não deixe de consultar um médico e realizar o diagnóstico.
Desenvolver hábitos mais saudáveis pode ajudar a combater a insônia.

Conclusão

A insônia é um problema extremamente comum, e oferece muitas consequências negativas para o dia a dia e a saúde dos pacientes que acomete. Apesar da grande variedade de possíveis causas, a insônia tem tratamento e, muitas vezes, até mesmo cura.

Para se livrar de vez desse inconveniente, procure um médico capaz de realizar o diagnóstico. Conhecer a causa é essencial para eliminar a insônia e melhorar sua qualidade de sono.

Dormir bem significa viver de forma mais leve, com menos irritação e alterações de humor. Além disso, você observará melhoras na sua memória e capacidade de concentração!

Quer saber mais sobre como cuidar da sua saúde? Leia também esses artigos aqui no blog:

Você achou as informações nesse artigo úteis? Não deixe de compartilhar com seus amigos e ajudar mais alguém a entender melhor a insônia!