Carregando
Carregando conteúdo
[contact-form-7 404 "Not Found"]

Gripe: sintomas, como prevenir, tratamento e vacinação

Data

16 ● julho ● 2018
Saúde de A a Z

Gripe: sintomas, como prevenir, tratamento e vacinação
5 (100%) 1 vote

Gripe é diferente de resfriado. Saiba mais como se manter longe do vírus da gripe aqui.

Atchim! Gripe? Se a crise de espirros for acompanhada por tosse seca, dores no corpo, na garganta na cabeça e febre alta com mais de 38 ºC, pode ser sim!

A Gripe é uma infecção causada por vírus que afeta principalmente o sistema respiratório, como as vias aéreas e o pulmão e pode atingir pessoas de qualquer idade, podendo provocar riscos mais graves em crianças e idosos.

Para contrair a doença, basta que você tenha contato  através da respiração  de gotículas contaminadas de uma pessoa doente, especialmente se você estiver com a imunidade baixa. Se não tratada, pode levar a outras doenças do trato respiratório e até a óbito.

Muitas vezes a gripe pode ser confundida com um resfriado ou com um processo alérgico, que são problemas diferentes. Por isso é importante consultar um médico para fazer um diagnóstico correto e o tratamento certo para evitar complicações em decorrência da gripe.

Aqui você vai saber um pouco mais sobre a doença, seus sintomas, métodos de prevenção e tratamentos para se manter saudável é longe da gripe.

Conheça outras doenças que também podem atingir as vias respiratórias e previna-se, acesse aqui.

Boa leitura!

 

O que é a Gripe?

A gripe ou influenza, como também é chamada, é uma infecção que ocorre no sistema respiratório e pode atingir pessoas de diversas idades. A gripe inicia com a manifestação de sintomas como tosse seca, congestão nasal, febre alta, acima de 38ºC, dor muscular, dor de garganta, dor de cabeça, entre outros.

 

A febre alta é o sintoma principal, é isso que difere a gripe do resfriado. Durante o período da gripe, a febre costuma durar em torno de três dias. Os sintomas respiratórios, como a tosse, vão surgindo e se agravando conforme a progressão da doença e mantêm-se, em geral, por três a quatro dias mesmo após a febre desaparecer.

 

Se não tratada, pode levar a complicações mais graves como a pneumomia, uma inflamação nos pulmões que todos os anos leva um grande número de pessoas a serem internadas no país e também a óbito.

 

 

É provocada por um vírus e atinge as vias respiratórias e os pulmões.

 

A gripe é uma doença muito comum em todo o mundo, sendo possível que uma pessoa adquira o vírus várias vezes ao longo de sua vida. Ela também pode ser frequentemente confundida com outras doenças como resfriados, viroses e alergias, por isso é importante consultar um médico para ter um diagnóstico certo.

 

 Casos da gripe no Brasil

No ano de 2018, até o início de junho, já foram registrados cerca de 2.715 casos e cerca de 446 mortes pelo vírus influenza – H1N1, H3N2 (atinge mais os Estados Unidos) e influenza B e Subtipo A. Do total, 1.619 casos e 284 óbitos foram por H1N1.

 

Os últimos dados de junho de 2018 mostram que os casos de morte por gripe aumentaram 180% somente na cidade de São Paulo. A maioria dos casos é causada pelo tipo H1N1.

 

Em São Paulo ficou muito mais fácil e rápido cuidar da sua saúde e prevenir doenças. Agende agora uma consulta com um especialista e cuide da sua saúde de maneira prática.

 

Quais as diferenças entre H3N2, H2N3 e o H1N1?

Entre esses tipos de vírus não há grandes diferenças no que diz respeito aos sintomas que as doenças causam, prevenção e tratamento.

 

A diferença entre os três subtipos de vírus está nas proteínas específicas que cada um carrega em sua superfície. Eles são cepas diferentes do mesmo vírus, com características semelhantes.

 

Recentemente, o Ministério da Saúde mostrou dados de que vírus H2N3 não existe no Brasil.

 

Tipos de Gripe

No Brasil existem diferentes tipos de vírus da gripe, provocando sintomas parecidos.

 

O vírus da gripe está dividido em 3 tipos: A, B e C, vírus altamente transmissíveis que podem sofrer mutações. O vírus tipo A é mais mutável que o B e este mais mutável que o C. Os tipos A e B são os que provocam maior índice de mortes em relação ao tipo C.

 

O tipo A corresponde aos subtipos como o H1N1 eo H3N2 (ausente no Brasil). Já o tipo B corresponde aos subtipos das linhagens “victoria e yamagata”. Mesmo com suas particularidades genéticas, todos podem circular entre os humanos e provocar os mesmos sintomas

 

Os tipos A e B são os principais responsáveis por epidemias sazonais em várias regiões do mundo, principalmente durante o período do inverno, já o tipo C causa infecções mais brandas.

 

Causas da gripe

Como já citado anteriormente, é causada pelo vírus influenza e os sintomas podem surgir de forma repentina, com febre, congestão nasal, dores no corpo e cansaço que podem durar por até 7 dias.

 

Entre o segundo e o quarto dia, os sintomas respiratórios aumentam, surgindo com certa frequência uma tosse seca e o aumento de secreções nasais e espirros, sintomas também comum na gripe.

 

 

Diferença entre Gripe e resfriado

Todos os anos, com a chegada do período mais frio, cresce a preocupação com as doenças respiratórias que acabam por ser chamadas popularmente de gripe. Apesar de usarmos esse termo de forma genérica para nos referirmos a doenças que tem como sintomas nariz entupido, espirros, dor de cabeça, tosse, entre outros, nem tudo é gripe.

 

Gripe e resfriado são diferentes. Na gripe os sintomas são mais fortes e costuma ter febre.

A gripe e os resfriados são causados por vírus diferentes e apresentam algumas características que permitem a sua diferenciação. Os resfriados são causados por rinovirus e seus primeiros sinais costumam ser coceira no nariz ou irritação na garganta, os quais são seguidos após algumas horas por espirros, secreções nasais e congestão.

 

O principal sintoma que difere o resfriado da gripe é a presença de febre. Enquanto na gripe ela aparece alta, no resfriado a maioria dos adultos e crianças não apresentam febre ou ela pode aparecer muito baixa.

 

Como acontece a contaminação?

A contaminação pelo vírus acontece por via respiratória, através da inalação de partículas de secreção infectada que circulam pelo ar. Por isso são necessários alguns cuidados ao tossir ou espirrar quando estamos doente para evitar de espalhar essas gotículas.

O contágio por meio de contato físico também pode acontecer, se a pessoa pegar em uma superfície que tenha acabado de receber algum indício do vírus, facilitando a sua transmissão.

Os vírus são organismos que precisam entrar nas células para sobreviver e no caso do Influenza, a predileção é pelas células do sistema respiratório. Quando esse vírus consegue vencer as defesas do corpo e a se replicar, dentro de 3 e 4 dias a pessoa atingida começa a manifestar os sintomas da gripe que são provocados pela multiplicação dos vírus e devido a resposta inflamatória que induz essa multiplicação.

Por isso a importância de lavar as mãos após tossir ou espirrar e ter sempre com você um álcool em gel para desinfetar as mãos após pegar em superfícies de ambientes onde há uma alta circulação de pessoas como no transporte público, por exemplo.

 

Buscando ajuda médica

É muito importante buscar ajuda médica para tratar a gripe, pois mal curadas podem ocasionar outros problemas respiratórios mais graves. Na hora de buscar ajuda, os especialistas que poderão diagnosticar e tratar a são:

 

  • Clínico geral
  • Infectologista
  • Pneumologista
  • Pediatra geral
Só os médicos podem indicar se os sintomas realmente são de gripe ou outras doenças.

No momento da consulta, para facilitar o diagnóstico do médico é importante que você liste todos os sintomas e há quanto tempo eles apareceram. Assim como o seu histórico de saúde, medicamentos que esteja tomando, se teve contato com alguma pessoa doente, se você esteve em algum local com aglomerado de pessoas, entre outros.

O médico também pode fazer uma série de perguntas para facilitar o diagnóstico, como:

  • Quais são seus sintomas e quando eles surgiram?
  • Se você sente falta de ar? Com que frequência?
  • Se você tomou vacina para gripe?

 

Não hesite em fazer outras perguntas e tirar todas as suas dúvidas sobre a gripe e tratamentos corretos.

 

Diagnóstico da Gripe

O diagnóstico só pode ser feito por um médico, baseado em sinais clínicos do paciente e por meio de exames. Um exame pode identificar o vírus influenza de forma rápida e é solicitado pelo médico. Ele é feito a partir de uma amostra da secreção da nasofaringe, que deve ser colhida preferencialmente nas primeiras 72 horas após o início dos sintomas.

Esses testes podem fornecer resultados em até 30 minutos ou menos para que o médico possa identificar com mais facilidade o vírus influenza. No entanto, os resultados variam muito e nem sempre são precisos.

 

Tratamento de Gripe

Para o tratamento da gripe, ainda não existem medicamentos que tenha mostrado um combate efetivo ao vírus. Por isso, o tratamento é direcionado apenas ao alívio dos sintomas.

Os principais medicamentos usados para o tratamento são antitérmicos e analgésicos, que aliviam a febre e dor no corpo. Além do uso de alguns alimentos naturais que ajudam a combater os sintomas da gripe.

Analgésicos e antitérmicos recomendados pelo médico devem ser usados no tratamento.

 

Gripe tem cura?

Geralmente a gripe tem cura sim. Mas em alguns casos, dependendo da gravidade e do tratamento incorreto, pode levar a morte. Com um tratamento indicado pelo médico e realizado corretamente pelo paciente, a gripe costuma ter uma um quadro de melhoria completa.

 

Complicações possíveis

A gripe mal cuidada pode gerar diversas complicações para a saúde, principalmente problemas respiratórios, que é um dos seus agravantes principais.

Se o paciente é jovem e saudável e contrai o vírus da gripe, geralmente não costuma ser grave e com um tratamento o vírus  pode desaparecer em uma semana sem provocar grandes efeitos no organismo.

Já em crianças e pessoas idosas, se não tratada corretamente a gripe pode desenvolver várias complicações que podem ser fatais como:

 

  • Pneumonia
  • Bronquite
  • Crises de asma
  • Problemas cardíacos
  • Infecções de ouvido
  • Infecção da garganta
  • Sinusite

 Convivendo/ Prognóstico

Durante uma crise de gripe, é necessário que você siga algumas medidas para seguir melhor no período de tratamento. Fique atento a essas dicas para uma recuperação mais rápida:

Idosos são considerados grupos de risco e devem ter cuidado redobrado com a gripe.

 

  • Ficar em casa de repouso ajuda na recuperação da gripe e evita também a transmissão para outras pessoas, seja no ambiente de trabalho, escolar, entre outros;
  • É importante ingerir bastante líquido, sendo a água o melhor deles;
  • Fazer uma boa alimentação que inclua frutas (principalmente as que contém vitamina C como laranja, limão, acerola, caju) e vegetais também auxiliam na recuperação.
  • Evite ficar muito tempo deitado, faça caminhadas curtas e frequentes para haver uma melhor circulação e ventilação de ar em seus pulmões;
  • Evite o contato muito próximo com uma pessoa que esteja infectada com gripe;
  • Ao tossir ou espirrar, lave sempre as mãos com água e sabão e evite levar as mãos ao rosto e, principalmente, à boca e aos olhos;
  • Tenha sempre um frasco com álcool-gel para garantir que as mãos sempre estejam esterilizadas principalmente ao usar transporte público;
  • Não compartilhe utensílios de uso pessoal, como toalhas, copos, talheres e travesseiros;
  • Caso ache necessário, utilize uma máscara para proteger-se de gotículas infectadas que possam estar no ar. Principalmente em ambientes onde há muita gente;
  • Evite frequentar locais fechados ou com muitas pessoas;
  • Verifique com seu médico se é necessário tomar a vacina contra a gripe.

Remédios caseiros para gripe

Algumas pessoas costumam tratar a gripe com remédios caseiros, o que não ajuda a curar, apenas a amenizar o quadro levemente durante o tratamento enquanto o quadro não completa o ciclo.

Os remédios caseiros mais popularmente utilizados para ajudar a aliviar os sintomas da gripe são:

Alho e limão são popularmente conhecidos e usados no combate aos sintomas da gripe.

 

  • Suco de laranja com limão: Essas frutas contém vitamina C que é boa para auxiliar no aumento da imunidade;

 

  • Xarope de alho: O alho é um alimento anti-inflamatório,
    que ajuda a melhorar os sintomas de congestão nasal e tosse;

 

  • Suco de maçã com mel: O mel juntamente com a maçã, ajudam a hidratar as mucosas das vias aéreas, auxiliando na melhora da tosse seca;

 

  • Alho fervido com mel: Mistura os benefícios já citados de ambos os alimentos;

 

  • Suco de caju: A fruta também é rica em vitamina C e seu consumo pode ser intercalado com o limão e laranja, ajudando a ter maior aporte da vitamina;

 

  • Chá de hortelã: ajuda a melhorar os sintomas da congestão nasal, aliviando as vias respiratórias.

 

Gripe em grávidas, crianças e idosos

A gripe pode causar sintomas mais fortes e complicações em crianças, grávidas e idosos. Nesse grupo, o sistema imunológico é mais fraco, por isso o organismo acaba ficando mais sensível e além dos sintomas normais da gripe também pode ocorrer vômitos e diarreia, o que pode ser mais perigoso pela desidratação.

 

O ideal é que essas pessoas façam tratamento médico assim que surgirem os primeiros sintomas de gripe e só devem tomar remédio com indicação médica.

 

As crianças podem ser tratadas pelo pediatra, que vai recomendar o tratamento ideal levando em consideração os sintomas, idade, peso e altura.

A gripe em crianças pode levar a complicações mais graves se não forem tratadas podendo deixar as crianças hospitalizadas no período.

Já os idosos podem ser tratados pelo geriatra, que também vai indicar o melhor tratamento avaliando os mesmo aspectos acima.

 

Vacinação contra a gripe

Uma das melhores formas de evitar o contágio pela gripe e suas complicações é através da vacina. Ela previne aproximadamente de 70 a 90% dos casos de gripe, mas não protege contra outros problemas como o resfriado.

Para uma proteção efetiva, é necessário receber uma dose dela todos os anos, visto que a sua composição sofre alteração de acordo com as mutações do vírus que são mais provável de se disseminar.  Devido o vírus utilizado na produção da vacina ser inativo em laboratório, não é possível que após receber doses da vacina a pessoa seja infectada pela gripe.

Ao tomar a vacina, é possível sentir seus efeitos preventivos já em cerca de duas semanas. O ideal é que a aplicação da vacina seja feita antes do inverno, época em que ocorrem um aumento nos índices de infecção pela doença.

A vacina pode causar algumas reações adversas que costumam ser leves como, por exemplo: dor no local onde foi aplicada a injeção, febre e mal-estar que duram cerca de um ou dois dias.

Há estudos que comprovam que as pessoas que recebem a vacina todos os anos desenvolvem maior resistência ao vírus, por isso uma vez que você tenha tomado a vacina, é importante receber a dose anualmente.

Todos os anos o Ministério da saúde realiza uma campanha de vacinação contra a gripe, para prevenir a população e principalmente idosos, crianças e pessoas com doenças crônicas que podem ter maior risco de complicação. A vacina também pode ser tomada por adultos mesmo sadios.

A vacina é o meio mais eficaz de se prevenir contra a gripe.

O efeito preventivo da vacina da gripe é observado cerca de duas semanas após a sua administração.

As reações adversas à vacina da gripe que podem ocorrer costumam ser leves, como: dor no local da injeção, febre e mal-estar, que duram um ou dois dias. Há evidências de que quem recebe a vacina todos os anos desenvolve maior resistência à doença, por isso, todas as pessoas que tiveram acesso à vacina devem recebê-la anualmente. Para o resfriado, ainda não há vacina disponível.

Devido às baixas coberturas na Campanha Nacional de Vacinação contra a gripe, o Ministério da Saúde vai prorrogar a vacinação até o dia 22 de junho. Segundo o último levantamento, 11,8 milhões de pessoas ainda precisam se vacinar contra a gripe.

A vacina atual protege contra os três subtipos do vírus da gripe que mais circularam no último ano no Hemisfério Sul, de acordo com determinação da Organização Mundial da Saúde (OMS), como o H1N1, o H3N2 e o influenza B.

 

Conclusão

A gripe é uma doença comum, mas precisa de tratamento para evitar complicações.

A Gripe ou influenza é uma das doenças mais comuns em todo o mundo. Ela pode ser transmitida facilmente através do contato com outra pessoa contaminada. Os sintomas mais frequentes são tosse seca, congestão nasal, espirros, coriza, febre alta e dores musculares.

O principal sintoma que diferencia a gripe de outras doenças como o resfriado é a febre alta. A partir de então é preciso fazer um tratamento específico com analgésicos e antitérmicos para tratar os sintomas. Alguns remédios caseiros também podem ajudar a aliviar os sintomas durante o tratamento como o uso de limão, alho, gengibre e hortelã.

Assim como é importante fazer uma alimentação balanceada e rica em Vitamina C, beber bastante água, lavar as mãos sempre e evitar o contato com pessoas que estejam gripadas.

Uma das formas mais efetivas de prevenção da doença é a vacina que é aplicada em doses anuais e protege mais efetivamente contra a doença. Crianças e idosos são os que mais podem desenvolver complicações com a gripe. Portanto o cuidado com eles deve ser redobrado.

Apesar de ser uma doença comum, se não tratada corretamente a gripe pode levar a óbito. Por isso ao sentir os primeiros sintomas, consulte um médico para fazer o tratamento e evitar o desenvolvimento de outras doenças.

Através desse e de outros artigos do nosso  blog você conhece mais sobre as doenças e suas formas de prevenção. Aproveite as dicas e cuide mais da sua saúde.

Se esse texto sobre gripe foi informativo para você, compartilhe para que mais pessoas também possam conhecer melhor sobre a gripe e se cuidar. E lembre-se, a forma mais segura de se cuidar é procurando ajuda médica.