Carregando
Carregando conteúdo
[contact-form-7 404 "Not Found"]

Endometriose: O que é, Causas, Sintomas e Tratamentos

Data

5 ● julho ● 2018
Guia para Alimentação

Endometriose: O que é, Causas, Sintomas e Tratamentos
5 (100%) 1 vote

A endometriose é uma doença que afeta as mulheres e pode levar anos para ser diagnosticada.

Dores de cólicas muito fortes, períodos menstruais extremamente longos, dificuldades para engravidar e anormalidades no útero podem ser sinais de endometriose.

Uma doença que afeta especialmente as mulheres e pode provocar transtornos por muitos anos e ser confundida com uma dor de cólica característica do período menstrual.

A Endometriose ocorre quando o endométrio, tecido que reveste o útero e descama formando a menstruação, cresce e passa a atingir outros órgãos do corpo como ovários, trompas, intestino, cavidade abdominal, podendo chegar até os pulmões e prejudicar a fertilidade na mulher.

Muitas mulheres podem sofrer por muitos anos com dores de cólicas frequentes que se intensificam durante o período menstrual causando transtornos para a saúde e qualidade de vida se não for tratada de maneira correta.

É preciso procurar um especialista e fazer um tratamento rigoroso para a endometriose. Muitas mulheres entretanto levam muito tempo para descobrir que tem a doença e alguns casos já avançados precisam de cirurgias.

A falta de informação sobre a endometriose afeta de maneira negativa a qualidade de vida da mulher e aqui nesse artigo você fica sabendo melhor sobre a endometriose, suas causas, sintomas e tratamentos.

Esse é um conteúdo voltado em especial para a saúde da mulher. Mas você que é homem e está lendo, também pode se informar e ajudar as mulheres próximas a você a identificar a doença e procurar tratamento.

 

Aqui você também fica sabendo mais sobre a saúde da mulher. Leia e previna-se.

Boa Leitura!

 

O que é a endometriose?

 

A endometriose é um problema que se manifesta quando o endométrio, a mucosa que reveste a parede interna do útero cresce passando a atingir outras regiões e órgãos do corpo.

Essa mucosa que cresce chamamos de tecido ectópico e se espalha normalmente na região pélvica da mulher, se estendendo para fora do útero e atingindo os ovários, intestino, reto e o peritônio, uma delicada membrana que reveste a pélvis.

O crescimento desse tecido também pode atingir outras partes do corpo, subindo para a área abdominal e em casos mais raros pode chegar aos pulmões. A endometriose pode ser genética e acontecer em gerações seguintes nas mulheres de uma mesma família.

Segundo estimativas da Organização Mundial da Saúde, estima que quase 180 milhões de mulheres enfrentam a endometriose no mundo e só no Brasil a estimativa é de 7 milhões de mulheres, cerca de 1 a cada 10 em idade reprodutiva.

A endometriose é um problema bastante comum e pode se manifestar ou ser diagnosticada por volta dos 25 aos 35 anos, mas a doença começa a se desenvolver alguns meses após o início da primeira menstruação.

A endometriose pode causar dores intensas que prejudicam o dia a dia da mulher.

 

O que causa a endometriose?

A endometriose não tem uma causa específica, mas pode ser causada por diversos fatores como:

Tendência genética e familiar

A genética é um dos fatores de risco. Fique atenta, se a sua mãe ou irmã tem ou tiveram endometriose, o risco de você também desenvolver é maior do que outras mulheres que não tem essa interferência genética.

Produção excessiva de hormônios

A produção de hormônios ajuda a estimular as células do endométrio e todo mês eles são produzidos, para essas células se multiplicarem e se prepararem para receber um óvulo fertilizado, fazendo com que a mucosa aumente de tamanho e fica mais espessa.

Esse processo provoca muitas dores nas mulheres, principalmente no período menstrual. Quando essas células crescem fora do útero, surge a endometriose.

Fatores Imunológicos

Um sistema imunológico deficiente também pode facilitar o surgimento da endometriose, tornando o corpo incapaz de reconhecer e destruir as células endometriais que crescem no lugar errado.

Fatores de risco

Menstruações mais longas podem ser um indicativo de endometriose.

 

Se a mãe ou irmã de uma mulher tem endometriose, essa mulher apresenta seis vezes mais probabilidade de desenvolver endometriose do que as mulheres fora dessas condições.

Outros possíveis fatores de risco para a endometriose são:

– Após alguma cirurgia, como histerectomia ou cesariana, por exemplo;

– A Menstruação ter iniciado cedo;

– A mulher nunca ter tido filhos;

– Ter ciclos menstruais frequentes;

– A duração da menstruação ser maior, entre sete dias ou mais;

– Desenvolvimento de problemas como hímen perfurado, que bloqueia a passagem do sangue da menstruação;

–  Alguma anormalidades no útero.

 

Tipos de Endometriose

A endometriose pode se manifestar na mulher em diferentes tipos:

Endometriose Ovariana: é o tipo que atinge os ovários, sendo provocada principalmente pela formação de cistos com sangue dentro dos ovários.

Endometriose Superficial: Esse tipo atinge o peritônio, o tecido que recobre internamente os órgãos da cavidade abdominal e pélvica;

Endometriose Profunda: nesse tipo, a doença se manifesta em focos que inicialmente tem entre um e dois milímetros e infiltram-se na parede de um órgão atingindo mais de cinco milímetros;

Os sintomas são mais intensos durante o período menstrual e dependendo da parte do órgão afetado, a paciente precisa fazer cirurgia de emergência;

Endometriose Septo reto-vaginal: Esse tipo acontece através da endometriose profunda e atinge o tecido que divide a vagina do reto;

Endometriose de parede: Esse tipo acomete a parede abdominal do corpo através de nódulos que se formam na região e ficam mais dolorosos durante o período menstrual.

Endometriose Pulmonar: Esse é um tipo raro da doença e ocorre quando o tecido endometrial que responde aos hormônios através da corrente sanguínea, chega aos pulmões. Começa a apresentar seus sintomas através de sangramentos nasais e em tosses durante o período menstrual.

 

Sintomas da Endometriose

As dores intensas são os principais sintomas que afetam a vida da mulher.

 

A endometriose pode confundir você com uma dor de cólica bastante forte. Pois, o primeiro sintoma a se manifestar é a dor pélvica que na maioria das vezes está associada ao ciclo menstrual. Algumas mulheres com endometriose afirmam que essa dor pélvica é muito mais intensa que o normal durante o período menstrual e vai aumentando conforme o tempo.

Por isso, é importante que a mulher fique atenta aos sinais do seu corpo e as intensidades das dores fora e durante o período menstrual.

Outros sintomas que caracterizam a doença são:

– Dor no baixo abdômen ou cólicas que podem ocorrer por uma ou duas semanas antes da menstruação;

– Dores nas relações sexuais com penetração;

– Dores ao urinar e evacuar, com mais frequência no período menstrual;

– Fadiga;

– Infertilidade;

– Diarreia;

Algumas mulheres levam muito tempo para descobrir a doença.

 

Saiba que nem sempre a intensidade da dor está relacionada à extensão em que a doença se encontra. Algumas mulheres podem ter a doença já com foco extenso pelo corpo e não sentir dor alguma, enquanto outras com pequenos focos podem sentir dores intensas necessitando ir a um hospital para controlar.

É importante ficar atenta pois os sintomas da endometriose podem ser confundidos com outras doenças, por isso a importância de procurar um médico para fazer exames de prevenção com frequência antes de iniciar qualquer tipo de tratamento.

Aqui você encontra médicos de forma mais rápida e prática que vão resolver os seus problemas. Agende já uma consulta e previna-se.

Ginecologia é a especialidade médica que acompanha a endometriose.

 

Buscando ajuda médica

Quando o corpo der os primeiros sintomas, principalmente de dores acima do normal durante o período menstrual, procure um médico para confirmar o diagnóstico de endometriose e aí sim iniciar um tratamento.

Os Especialistas que fazem o diagnóstico e tratamento da endometriose são:

– Clínico Geral;

– Ginecologista;

Ao procurar um médico, é importante que a mulher leve algumas informações:

Listar todos os sintomas e há quanto tempo eles surgiram;

– Se você tem algum outro problema de saúde;

– Se usa medicamentos ou suplementos com regularidade;

O médico provavelmente também vai investigar outras particularidades a fim de fazer um diagnóstico mais preciso:

– Os sintomas ficam mais acentuados durante o período menstrual?

– Em que parte do corpo as dores estão localizadas?

– Qual o nível de intensidade dessas dores?

O que ajuda a melhorar os sintomas?

– O que faz piorar os sintomas?

 

Como é o Diagnóstico de Endometriose?

O diagnóstico é feito a partir do momento em que a paciente faz as descrições dos sintomas, e para ter uma confirmação, pode ser que o médico solicite a realização de alguns exames que confirmem a necessidade.

 

Quais os exames necessários?

Para realizar o diagnóstico, os exames essenciais são:

– Ultrassom: através da análise da imagem desse exame, o médico pode confirmar se há presença de cistos nos órgãos da região pélvica. O Ultrassom não diagnostica a endometriose, mas ajuda na identificação dos cistos associados à endometriose, os chamados “endometriomas”.

– Exame pélvico com toque vaginal e retal:  nesse exame o médico pode visualizar a região pélvica da paciente procurando anormalidades como massas ou nódulos nos órgãos reprodutores, intestinais ou nas vias urinárias.

– Ressonância Magnética: esse exame pode detectar a presença de cistos endometriais e a endometriose profunda. Ele ainda possibilita um mapeamento completo das lesões da pelve e abdômen;

– Laparoscopia: antes a laparoscopia era usada como um método diagnóstico, uma opção onde já havia a suspeita da doença. Uma vez encontrados cistos ou lesões suspeitas, eram removidas para exame laboratorial. Hoje o seu papel é mais para tratar a doença quando já se sabe que ela existe previamente, removendo todas as amostras suspeitas.

 

Prevenção, tratamento e cuidados

As dores intensas podem atrapalhar as atividades da mulher no trabalho.

 

O melhor que as mulheres podem fazer em relação a prevenção é consultar regularmente um ginecologista. Ficar atenta aos sintomas e conhecer o seu corpo e qualquer sinal ou sintoma diferente é fundamental para a manutenção da saúde e bem-estar.

Recomenda-se também manter hábitos saudáveis, como uma dieta equilibrada, sono regular, realizar atividades físicas e evitar situações estressantes. Ter filhos mais cedo e amamentar pelo maior tempo possível também podem fazem com que a endometriose não se manifeste.

O tratamento da endometriose deve ser levado a sério conforme as recomendações médicas para não causar demais problemas a saúde da mulher.

As opções de tratamento podem incluir:

– Em casos mais brandos, medicamentos para controlar a dor e minimizar a progressão da doença;

– Casos intermediários para graves requerem cirurgia para retirar os tecidos da endometriose que afetam outras áreas do corpo;

– Em casos mais graves, pode ser feita uma cirurgia radical de histerectomia com retirada de dois ovários quando já estão comprometendo a saúde da mulher.

No geral, o tratamento depende dos seguintes fatores:

– Idade avançada

– Gravidade dos sintomas

– Gravidade da doença

– Se a mulher já teve filhos ou não

 

Tratamento com anticoncepcional

O tratamento da endometriose pode precisar envolver interromper o ciclo menstrual e permitir a criação de um estado em que a mulher fica similar a como se estivesse grávida.

Chama-se a esse processo de pseudo-gravidez e isso pode ajudar a impedir que a doença piore. Para isso, os médicos costumam recomendar o uso de pílulas anticoncepcionais com estrogênio e progesterona para uso contínuo, ou seja, sem pausas para menstruar.

Também podem ser usados progestagênios isolados, na forma de pílulas, injetável ou mesmo um DIU específico.

Esse tratamento pode gerar efeitos colaterais podem incluindo a presença de manchas de sangue, ganho de peso, sensibilidade nos seios, náusea e outros efeitos colaterais devido a quantidade de hormônios.

A terapia com anticoncepcionais alivia a maioria dos sintomas da endometriose, mas não elimina os focos ou as aderências causadas pela doença. Ela também não reverte as alterações físicas que já ocorreram e faz com que os sintomas voltem a partir do momento em que.

 

Tratamento com Medicamentos

Anticoncepcionais e medicamentos podem fazer parte do tratamento para aliviar os sintomas da endometriose.

 

Em alguns graus de endometriose, os médicos podem receitar medicamentos que impedem a produção de estrogênio pelos ovários,  também conhecidos como agonistas do GnRH.

Esse medicamento pode gerar alguns possíveis efeitos colaterais como alguns sintomas da menopausa precoces como: ondas de calor, secura vaginal, alterações de humor e perda precoce de cálcio dos ossos.

Esse tratamento também proporciona a perda de densidade óssea, e por isso deve ser feito por um período limitado a seis meses. Em alguns casos, ele poderá ser prolongado por até um ano se pequenas doses de hormônios forem prescritas para reduzir os efeitos colaterais de enfraquecimento ósseo.

Somente um médico ginecologista pode prescrever o medicamento ideal para cada caso, bem como a dosagem correta e a duração do tratamento. Siga sempre as orientações médicas, não faça automedicação e nunca tome quantidades diferentes das prescritas.

 

Endometriose tem cura?

O uso de hormônios e a cirurgia de laparoscopia pélvica não curam a endometriose. Entretanto, elas podem aliviar os sintomas de modo parcial ou completo em muitas pacientes por vários anos. Podendo os sintomas voltarem a se manifestar.

A histerectomia total é o procedimento que pode representar melhor as chance de cura da endometriose e possivelmente pode ser necessário fazer terapia de reposição hormonal depois da remoção dos ovários.

 

Como conviver com a Endometriose

Atividades como a Yoga associadas ao tratamento  podem auxiliar no controle dos sintomas

 

Se for detectada logo no início e tratada de maneira correta, é mais efetiva no alívio dos sintomas. Por isso é importante que a mulher procure um médico o quanto antes sentir os sintomas parecidos e qualquer outro problema que possa caracterizar a endometriose.

Problemas relacionados ao ciclo menstrual como dores intensas que geram incômodos e impacto na rotina diária e sangramento disforme,  também podem provocar desconforto na vida sexual devem ser investigados e tratados para evitar quaisquer riscos à saúde da mulher.

 

Endometriose e Gravidez

O desenvolvimento da endometriose pode dificultar a gravidez, principalmente
quando o tecido endometrial se liga as trompas, o que impede a passagem do óvulo maduro para o útero, impedindo assim a ovulação e concepção.

A endometriose pode impossibilitar a gravidez se não for tratada e estiver em estágio grave.

Porém, existem relatos de mulheres que engravidaram naturalmente mesmo tendo endometriose. Isso foi possível porque seus ovários e trompas não foram afetados pela doença, mantendo assim a fertilidade preservada.

Em mulheres que a doença atingiu esses órgãos, é necessário estimular a ovulação
naturalmente ou através de remédios para conseguir uma gravidez mesmo tendo endometriose.

 

Conclusão

A endometriose não tem cura mas pode ser tratada para evitar problemas e sintomas nas mulheres.

A endometriose é um problema que atinge exclusivamente as mulheres e se caracteriza pela proliferação do tecido chamado endométrio para fora da cavidade uterina. Esse crescimento é comum no ciclo reprodutivo da mulher, sendo eliminado em forma de menstruação quando não ocorre a gravidez.

Entretanto, em algumas mulheres pode acontecer das células desse tecido migrarem no sentido oposto, podendo subir pelas tubas e chegar à cavidade abdominal, multiplicando-se e provocando a endometriose.

A endometriose causa muitos sintomas que podem ser prejudiciais a vida e saúde da mulher, podendo causar dores de gravidade brandas até intensas, impossibilitando as mulheres de realizar suas atividades diárias e em casos mais extremos levando-a a infertilidade.

Acompanhe as postagens do nosso blog e fique por dentro de mais dicas para manter a sua saúde em dia,  acompanhe estes outros artigos do blog e cuide-se bem.

 

Esse texto ajudou você a conhecer mais sobre a Endometriose e seus sintomas? Se sim, compartilhe para que outras pessoas também possam conhecer e se cuidar. E lembre-se sempre de procurar um médico para realizar o seu tratamento de forma correta e segura.