Carregando
Carregando conteúdo
[contact-form-7 404 "Not Found"]

Diu (Dispositivo Intra-Uterino). Tire todas as suas dúvidas.

Data

9 ● agosto ● 2018
Saúde da Mulher

Diu (Dispositivo Intra-Uterino). Tire todas as suas dúvidas.
Avalie este post!

Conheça mais sobre a praticidade e eficiência do contraceptivo.

Você já ouviu falar no DIU? O dispositivo intra-uterino, é um método contraceptivo que é implantado no útero e previne a gravidez. Na busca por um método contraceptivo seguro e que não precise ser tomado diariamente ou mensalmente, o DIU é o mais indicado.

 

Ele é um pequeno dispositivo em forma de haste que é implantado no útero e pode ficar lá por um determinado tempo, podendo variar de 5 a 10 anos dependendo do tipo.

 

O DIU é altamente eficaz na prevenção da gravidez, apresentando cerca de 0,2% a 0,7% de falhas. O DIU pode ser de dois tipos, de cobre e de Mirena, que libera o hormônio progesterona no útero da mulher.

 

O DIU não provoca dor e nem infertilidade, pode no máximo provocar uma cólica e só perde a sua função contraceptiva quando é retirado.

 

Aqui você vai conhecer mais sobre o DIU, saber o passo a passo de como colocar, vantagens e desvantagens no uso e muito mais para a sua prevenção. Faça a leitura e aproveite as dicas dos profissionais da Cia da Consulta que estão sempre prontos para cuidar e estimular a prevenção da saúde da mulher.

Conheça mais dicas de prevenção sobre saúde da mulher, leia também esse outro artigo do blog.

Excelente leitura!

 

O que é o DIU?

O DIU é o dispositivo intrauterino, um método contraceptivo que se caracteriza por uma haste em forma de “T” que é colocada dentro do útero prevenindo assim a gravidez.

 

O DIU libera substâncias que impedem a fecundação do óvulo pelo espermatozoide.

 

O DIU libera substâncias que tornam o útero um lugar hostil para a entrada do espermatozoide, impedindo que ele fecunde o óvulo. O dispositivo fica por um tempo dentro do útero, podendo variar de 5 a 10 anos até ser retirado ou trocado.

 

Para que serve o DIU?

O D.I.U. é um método para a prevenção de gravidez que é colocado dentro do útero da mulher e pode ficar lá por vários anos sem precisar ser retirado em curto prazo.

 

O DIU é eficaz?

Em prática ele é mais eficaz que os anticoncepcionais orais e tão seguros como os injetáveis, implantes e a contracepção cirúrgica feminina e masculina.

 

O Diu é mais eficaz que os contraceptivos orais. Além de oferecer maior praticidade.

 

Os médicos da Cia da Consulta, explicam que o DIU hormonal age de forma eficaz durante 5 anos e que o DIU de cobre age por, pelo menos, 10 anos. Comparado ao implante que permanece ativo no útero por 3 anos.

 

Alguns resultados de pesquisa sugerem que o uso mais frequente dos DIU ou dos implantes hormonais no lugar de outros métodos contraceptivos, poderia evitar o número de gravidez não desejadas.

 

Diferentes Tipos de DIU

Existem no mercado dois tipos de DIU, o de Mirena e o de Cobre. Entenda as diferenças e escolha o que mais é compatível com você:

 

Diu de cobre: como o nome sugere, é um contraceptivo em que a haste é revestida por esse metal. Ele libera pequenas quantidades de cobre no útero, provocando algumas alterações no endométrio (tecido que reveste a parede interna do útero), no muco e na motilidade das trompas.

 

O Diu provoca uma reação inflamatória que não faz mal ao organismo, mas torna a região não interessante para a entrada do espermatozoide.

Com o uso do DIU de cobre a mulher tem chances bem pequenas de gravidez que chegam a cerca de (0,7%).

DIU de Mirena: esse tipo além de produzir reações inflamatórias no útero, possui em sua estrutura o hormônio progesterona. Esse hormônio vai sendo liberado aos poucos no corpo e uma pequena quantidade pode ser absorvida pela corrente sanguínea, porém restringe-se mais ao útero.

 

É possível constatar na bula do Diu de Minera que dois terços das mulheres que usam esse dispositivo apresentam um bloqueio da menstruação. As chances de engravidar usando esse dispositivo são de 0,2%.

Quando a gravidez utilizando DIU acontece, é mais fácil identificar quando o DIU é de cobre, porque nestes casos a menstruação, que continua descendo, fica atrasada. Já no DIU Mirena, como muitas mulheres deixam de menstruar, pode demorar até os primeiros sintomas de gravidez serem reconhecidos.

 

Como é colocado o DIU (Passo a passo)

O DIU só pode ser colocado por um médico ginecologista. Durante a consulta ginecológica, um instrumento chamado “espéculo” é introduzido na vagina para visualizar o colo do útero, esse é desinfetado antes de ser introduzido o DIU.

 

O Diu deve ser colocado somente por um ginecologista e são necessário exames prévios.

O médico então usa um pequeno instrumento para fazer a medição do útero e verificar a sua posição, o DIU é então inserido no útero através de um tubo de inserção fino e flexível.

O médico insere o DIU fazendo o ajuste perfeito a forma do útero, na parte inferior do dispositivo existem dois fios, estes ficarão no interior da vagina e se destinam a remover o DIU quando indicado.

 

Colocar DIU dói?

Algumas mulheres podem sentir dor e mal-estar após a colocação do DIU. Após alguns dias, a mulher deve submeter-se a uma avaliação ginecológica e se continuar a sentir dor e desconforto, o DIU deve ser retirado.

 

Algumas mulheres podem sentir cólicas inicialmente ao colocar o DIU.

 

As mulheres também podem sentir cólica  abdominais semelhantes à do período menstrual e podem durar por algumas horas.

Também é possível que ocorra um leve sangramento vaginal durante um curto período de tempo.

 

Quando o Diu deve ser colocado?

  • Em qualquer momento nas mulheres que fazem uso corretamente de alguma contracepção hormonal (pílula, anel vaginal ou adesivo transdérmico);
  • Preferencialmente nos primeiros 12 dias do ciclo, ou em qualquer altura, excluída a possibilidade de existência de gravidez;
  • Em 6 semanas após o parto ou aborto tardio;
  • Imediatamente após um abortamento do 1º trimestre (menos de 13 semanas);
  • Imediatamente para o substituir um outro DIU que foi retirado;
  • Quando houver dúvidas em relação à possibilidade de gravidez, o DIU não deve ser colocado principalmente na semana que antecede a menstruação;

O que fazer depois de colocar o DIU?

Durante o processo de colocação, a mulher aprenderá a sentir os fios do DIU, podendo verificar assim se ele está em no lugar todos os meses, após o período menstrual.

Dependendo do tipo de DIU, ele precisa ser trocado com 5 ou 10 anos após ser colocado.

 

Como o DIU é retirado?

O DIU pode ser retirado facilmente, mas saibam que isso também deve ser feito somente por um profissional. A remoção não costuma provocar dor e o recomendado é que não seja feito durante o período menstrual.

 

Após a retirada e do DIU, a fertilidade da mulher retorna à normalidade. Se caso a mulher não queira engravidar após a retirada, é recomendado que ela use um outro método contraceptivo (preservativo ou pílula) durante sete dias antes da retirada.

 

Isso porque o poder de fecundação do espermatozoide pode durar até 7 dias e fertilizar o óvulo após o DIU ser removido.

 

Dúvidas frequentes

 

O DIU pode se mover ou sair sozinho?

Durante o período menstrual, o útero pode se contrair, alterando a posição do DIU e até mesmo expulsando-o. Por isso, a mulher deve fazer um monitoramento constante. Contudo, uma vez dentro da cavidade este terá sua ação contraceptiva mantida.

 

Como o DIU afeta a ovulação?

O DIU, mesmo sendo o hormonal, não costuma alterar a ovulação, por isso, sintomas como retenção de líquido e inchaço, comuns antes da menstruação podem continuar ocorrendo.

 

Como é a adaptação à colocação do DIU?

Isso pode variar de mulher para mulher, mas em geral a adaptação é simples, pode-se ter um aumento de fluxo menstrual no caso de DIU de cobre e escapes entre os ciclos no caso do DIU Mirena. Em ambos a mulher pode sentir dismenorreia levemente aumentada, que melhora com o tempo em geral.

 

Quais as chances de engravidar usando DIU?

 

As chances de engravidar usando DIU são muito pequenas, porém existem.

É comum as mulheres se preocuparem se há risco de engravidar com o DIU.  As chances de se engravidar usando o dispositivo são baixas, geralmente entre 0,2% para o DIU de Mirena e 0,7% para o DIU de cobre.

 

Se ocorrer uma gravidez utilizando DIU, é mais fácil identificar se for o DIU de cobre já que no uso dele a menstruação permanece descendo e quando a gravidez, ela atrasa.

 

Já quando o uso é o DIU de Mirena, muitas mulheres deixam de menstruar e podem demorar até identificar os sintomas da gravidez.

 

Diu Engorda?

Algumas mulheres se preocupam se podem engordar ao usar o DIU, mas vamos tirar algumas das suas dúvidas:

 

O DIU de cobre não engorda, pois não possui hormônio e seu efeito fica restrito ao útero. O que pode acontecer é ele causar algumas cólicas durante o período menstrual, aumentar o fluxo sanguíneo e provocar um inchaço no corpo da mulher nesse período. Isso pode fazer a diferença na balança.

 

O Diu Mirena, de hormônio, também não engorda porque a maior parte do hormônio age só no útero. Apenas uma pequena quantidade que passa a circular na corrente sanguínea com uma quantidade menor de que os outros contraceptivos hormonais.

 

Esse tipo pode causar, entretanto, uma retenção de líquido momentânea, o que pode causar um discreto aumento de peso durante o ciclo menstrual.

 

Vantagens e desvantagens do DIU

Sempre que pinta a dúvida entre qual o melhor método contraceptivo para se usar, é sempre bom saber suas vantagens e desvantagens. Veja aqui algumas relacionadas ao DIU.

 

Vantagens do DIU de cobre:

– Tem baixo custo;

– Pode ser usado por até 10 anos;

– Não tem sua eficácia reduzida por conta de medicamentos;

 

Desvantagem:

– Aumento do fluxo menstrual e cólicas;

 

Entre as vantagens específicas do DIU de Mirena estão:

– Reduz ou pode até mesmo suspender a menstruação;

– Beneficia mulheres com endometriose ou que estão em fase de transição após a menopausa;

– Protege contra o câncer de endométrio;

 

Contraindicações do DIU

O DIU possui algumas contra indicações que devem ser conhecidas pelas mulheres que estão interessadas em colocá-lo. Ele não pode ser usado por quem apresenta:

 

– Anormalidades no útero;

– Infecção ginecológica ativa;

– Gravidez presente ou suspeita: mulheres grávidas não podem usar DIU, pois há elevado risco de aborto;

– Câncer uterino: mulheres com câncer do endométrio ou do colo do útero não devem utilizar o DIU;

– Sangramento ginecológico: antes da implantação do DIU, qualquer sangramento anormal deve ser investigado;

– O DIU de cobre, especificamente, é contraindicado a mulheres com alergia à cobre.

 

– O DIU de Mirena não deve ser utilizado por mulheres que tiveram câncer de mama nos últimos 5 anos ou doenças hepáticas, devido a sua quantidade de hormônios.

 

Em quanto tempo após a retirada do DIU é possível engravidar?

Após a retirada do DIU, a mulher retoma sua fertilidade de imediato e já pode começar a tentar engravidar. Não há necessidade de esperar nenhum prazo.

 

Mitos e verdades sobre o DIU

Existem muitos mitos relacionados a utilização do DIU. Conheça o que é mito e o que é verdade a respeito do contraceptivo.

 

O DIU atrapalha as relações sexuais?

Mito! O dispositivo não atrapalha em nada durante a relação sexual, além de não prejudicar o prazer feminino em nenhum nível.

 

Mulheres que não têm filhos podem utilizá-lo

Verdade! O DIU não oferece nenhum risco ou contraindicação para mulheres que ainda não engravidaram, mas assim é necessário que a paciente visite um ginecologista antes para que receba as devidas orientações em relação ao contraceptivo.

 

O DIU pode ser usado durante a amamentação

Verdade! O dispositivo pode ser utilizado sem problemas pelas mulheres que estão amamentando. Mas é preciso ficar atenta ao DIU à base de progesterona, pois ele só deve ser colocado seis semanas após o parto. Não há ressalvas quanto ao de cobre.

O dispositivo pode provocar aborto?

Mito! O DIU age deixando o ambiente uterino tóxico para os espermatozoides, impedindo a sua entrada, o que acaba impossibilitando a fecundação, o que não pode ser associado com aborto.

O DIU pode afetar a fertilidade?

O Diu não afeta a fertilidade da mulher mesmo usado por um período prolongado.

 

Mito! Mesmo que seja utilizado por um período prolongado (já que o Mirena pode ficar no corpo por até cinco anos e o de cobre, dez), a fertilidade não será afetada permanentemente. Não prejudica a fertilidade e ao ser retirado, a capacidade da mulher de engravidar volta ao normal.

O método possui contraindicações.

Verdade! O DIU não pode ser usado por mulheres que apresentem alguns tipos de má formação uterina ou que tenham úteros muito pequenos (pois há risco de perfuração), por mulheres que tenham manifestado infecções uterinas recentemente ou mulheres que sejam virgens.

Há uma faixa etária ideal para o uso do dispositivo.

Mito! Desde que a mulher não seja mais virgem e tenha sido devidamente orientada a respeito do assunto, não há uma idade certa para que o dispositivo seja implantado no útero.

A implantação do dispositivo dói.

Mito! A maior parte das pacientes que optam pelo uso do dispositivo sentem apenas um leve desconforto na hora de implantá-lo, algo semelhante a uma cólica menstrual.

Ele requer o uso de outro método contraceptivo.

Verdade! Não só o DIU, mas todos os métodos contraceptivos têm uma margem de falha, mesmo que pequena. Apesar de algumas pessoas não gostarem de combinar dois métodos diferentes, essa margem de erro torna a prática necessária.

O DIU não protege das DST por isso a importância de ser associado com a camisinha.

 

Além disso, é importante ressaltar que o único método que impede tanto a gravidez quanto a contaminação por DST (doenças sexualmente transmissíveis) é a camisinha. Como o DIU só impede a gravidez, é importante que o casal utilize o preservativo  masculino ou o feminino) para se proteger de doenças.

 

Conclusão

O DIU proporciona um ajuste perfeito à forma do útero e não causa desconforto.

O dispositivo intra-uterino (DIU) é um pequeno dispositivo em forma de “T” inserido no útero feito de plástico e revestido a cobre ou a cobre e prata. A sua forma permite um ajuste perfeito à forma do útero da mulher, onde é colocado facilmente por um profissional treinado.

 

Na parte inferior do dispositivo existem dois fios que ficarão no interior da vagina e se destinam a removê-lo quando indicado. O DIU é um método eficaz para prevenir somente a gravidez, no caso de prevenção de DST, o uso da camisinha é recomendado e pode ser associada ao DIU.

 

Se você pensa em usar um método contraceptivo que apresente eficiência e praticidade sem não precise tomar todos os dias ou todos os meses, o DIU é o mais recomendado. Ele pode ser inserido e ficar por cerca de 5 a 10 anos no útero, dependendo do tipo.

Converse com o seu médico, faça exames e veja qual o tipo de contraceptivo é mais indicado para você. Os Ginecologistas da Cia da Consulta podem prestar todos os esclarecimentos a você de forma rápida e prática.

 

Com as nossas dicas você cuida melhor da sua saúde e qualidade de vida.  Acompanhe mais artigos do nosso blog e tire suas dúvidas sobre cuidados e prevenção para a saúde da mulher.

Esse texto te ajudou a saber mais sobre DIU? Se ajudou você, compartilhe para que outras mulheres também possam conhecer e escolher o melhor método contraceptivo. E lembre-se sempre de procurar um médico para cuidar da sua saúde.